engenharia social · liberalismo clássico · libertarianismo

Quer combater a desigualdade de renda?

Então, tome cuidado.

This study examines the extent to which changes in household formation exacerbated income
inequality in the United States during the last two generations. Using a time-varying
parameter model, the impact on how marriage decisions, changes in human capital, and
fertility choices influence inequality are estimated. The estimation results show that marital
sorting evolves over time and positively and increasingly affects the degree of income
inequality and intergenerational human capital transmission induces path-dependent income
distribution dynamics. This suggests that intrahousehold choices explain a substantial
proportion of income distribution dynamics.

Ao fazer uma leitura rápida, você percebe: muito da desigualdade citada vem das próprias decisões dos casais. Assim, os que gostam radicalmente de engenharia social diriam que deveríamos elaborar políticas públicas intrusivas nas decisões dos casais norte-americanos para, dados os resultados acima resumidos, acelerarmos a dinâmica virtuosa da igualdade de renda.

Os economistas que não compartilham desta – pretenciosa e simplista visão – pensam diferente. Nestes casos, a abordagem é sempre no sentido de buscar entender o que ocorre de forma muito mais precisa antes de, sequer, imaginar em alterar  um único incentivo.

Cá entre nós – e aí vai meu toque pessoal em Economia – prefiro deixar que as pessoas errem e acertem por conta própria. São poucos os casos em que, realmente, é necessário uma decisão mais rápida e rígida sobre algum aspecto da vida das pessoas, em termos de políticas públicas. Ao contrário do adolescente marxista (“é preciso transformar o mundo, não apenas entendê-lo”), creio que é necessário ter muita serenidade e respeito pela escolha alheia antes de propor alguma mudança. Afinal, você está invadindo a esfera decisória alheia! Não é trivial aceitar isto – somos todos muito ansiosos, ainda mais em selvas como o Brasil, cheias de probleminhas – mas é preciso fazer um esforço.

Um dia eu elaboro melhor minha visão do que seja e do que não seja “engenharia social”. Mas eu devo dizer que ela bebeu muito na fonte de autores como Friedrich Hayek, James Buchanan, Virginia Postrel, David Thoreau, David Friedman, Milton Friedman e, quem sabe, Groucho Marx…