economia · mercado do sexo · pandemia

O onipresente ineficiente safadinho

https://cs.phncdn.com/insights-static/wp-content/uploads/2020/05/pornhub-insights-coronavirus-may-26-update-world.pngPois é. A imprensa mineira, recentemente, noticiou um período de prosperidade para a indústria de brinquedos eróticos e o ótimo blog (que geralmente é bloqueado…) de famoso site de vídeos, digamos, eróticos, apontou para um aumento de tráfico (em dois posts: este e este outro). Em suma: o isolamento levou muitas pessoas a alternativas ao sexo presencial. Desnecessário dizer que há uma chance incrível de se usar a Equação de Slutsky para um exemplo picante em sala de aula…

Claro, existem os solteiros e os que se viram isolados longe dos parceiros (namorados, maridos, esposas, amantes, etc): a aversão ao risco superou o desejo carnal e….bem, não é bem isso. Afinal, as vendas de brinquedos e o acesso aos vídeos aumentaram. E isso tudo no teletrabalho, já alvo de milhares de surveys que não necessariamente estão detectando esta mudança de comportamento. Por que? Porque talvez muitos não tenham coragem de declarar que gastam mais tempo com pornografia virtual.

Como já tive oportunidade de falar em O onipresente ineficiente, meu problema com algumas análises sobre o teletrabalho é que as mesmas confundem as preferências do indivíduo com uma óbvia mudança de restrição: não escolhemos as horas atuais alocadas ao teletrabalho porque queremos, mas porque fomos obrigados a isto.

Os dados do site cujo-nome-vai-causar-bloqueio-do-post e a matéria do jornal mineiro mostram uma outra possibilidade da difícil vida dos onipresentes ineficientes que é a composição de suas horas de lazer. Aliás, não sei não se alguns não aumentaram suas horas virtuais em sexo durante o horário de trabalho, embora reportem passar mais tempo com a família

É bom frisar: não há nenhuma bobagem de novonormal-blábláblá nisto. A pandemia passará e tanto o acesso aos vídeos quanto os brinquedos voltarão ao seu normal.

Parece que muitos não perceberam a diferença entre mudanças temporárias e permanentes (todo bom modelo macroeconômico tem um exercício sobre estas mudanças, acrescentando, claro, a antecipação ou não das ditas mudanças).

O mercado de artigos para sexo (inclusive o de assinatura virtual) está diante de uma mudança não antecipada e temporária (ainda que alguns mais apavorados, em seus devaneios, pensem que a mudança é permanente). Ou seja: ao longo do tempo, o choque da pandemia vai se dissipar e voltaremos aos hábitos de antes.

Então, nada disso deixará um legado? Claro que há lições a serem aprendidas por conta de guerras, crises financeiras, etc. Mas as mudanças de preços relativos não são nem totalmente previsíveis, nem eternamente fixas (ou não seriam mudanças!). Pare com a bobagem do suposto novo normal. O normal continua bem…normal.

R

Saudades da culinária japonesa na pandemia? R neles!

Isolamento social e R: o que poderia dar errado?

Testei o pacote ARDL com dados de busca (abrangência mundial) pelos seguintes termos: LamenGyozaokonomiyakisunomono. O gráfico, ainda com alguns problemas no eixo (não tive tempo de ajustar as datas, mas o período é: 2004.01-2020.06), mas eis a cointegração.

lamensunomonogyozaokonomiyaki

Ah, sim, o código para obter a relação de cointegração – e outros detalhes – são uma mera adaptação do código original do exemplo do autor do pacote.

library(ARDL)
df<-read.table("C:/Users/cdshi/OneDrive/Documents/Meus Documentos/sunomono.csv",
               header=TRUE, sep=",",na.strings="NA", dec=".", strip.white=TRUE)

models <- auto_ardl(Lamen~Gyoza+sunomono+okonomiyaki, data=df, max_order=4)
models$top_orders
models$best_model
ardl_1402<-models$best_model
summary(ardl_1402)

uecm_1402 <- uecm(ardl_1402)
summary(uecm_1402)

bounds_f_test(ardl_1402, case = 2)

tbounds <- bounds_t_test(uecm_1402, case = 3, alpha = 0.01)
tbounds

tbounds$tab

multipliers(ardl_1402)

ce <- coint_eq(ardl_1402, case = 2)

 

economia · Economia Brasileira

A infância nos anos 70

Tive infância na época. Descobri que, a despeito das dificuldades, vivi em uma época em que os brinquedos não vinham da China.

Os melhores carrinhos eram os ingleses. Acho que formavam a imensa maioria dos carrinhos ofertados (achei até um de Hong Kong).

Existiam alguns nacionais (na foto, o carro esportivo cinza) e, quando algum japonês retornava ao Japão, ganhávamos algumas lembranças, como a viatura e o ônibus da polícia que estão na foto.

Cerveja · microeconomia · Organização Industrial

Cartéis são instáveis? Beba uma antes de ler isto!

Tullock's Beer

Em setembro de 1931, a Brahma propusera aos seus concorrentes um pacto de preços para as vendas no interior em que as cervejas de primeira qualidade seriam vendidas a 78$000 a caixa com quatro dúzias, ou seja, 1$625 a unidade. Acima, portanto, do preço unitário médio praticado pelas cervejarias até então. Passados três meses, em novembro, cartas dos viajantes informam que o acordo não se sustentava e os viajantes das fábricas concorrentes lançavam mão de todos os recursos para conquistar a freguesia. A Hanseática, por exemplo, enviara um carregamento de três vagões de cerveja que foram vendidas a preços da tabela antiga. Em consequência, os mercado de Barra do Piraí, importante entrocamento da Estrada de Ferro Central do Brasil, ficou abarrotado de cervejas da Hanseática. Outros viajantes ofereciam mobiliário para os bares, uns recompravam os vasilhames vazios a preços inferiores aos da tabela combinada entre as cervejarias, também se ofereciam desconto de fretes e prazos de pagamento dilatados. [Marques, Teresa C. de N. (2014). A cerveja e a cidade do Rio de Janeiro, Editora UnB, p.298-9]

Parece que seu professor de microeoconomia merece um growler daquela artesanal de trigo, heim?

discriminação racial · economia da discriminação

Por que esconder a obra de Thomas Sowell?

Pois é. Uma boa pergunta. Por que a AEA não recomenda a leitura do Sowell?

Trecho do artigo:

To name just a few of his many works specifically on this theme: Race and Economics (1975), Markets and Minorities (1981), Ethnic America: A History (1981), The Economics and Politics of Race (1983), Preferential Policies (1990), Race and Culture (1995), Migrations and Cultures (1996), Conquests and Cultures (1998), Affirmative Action Around the World (2004), Black Rednecks and White Liberals (2005), Intellectuals and Race (2013), Wealth, Poverty and Politics, (2016), and Discrimination and Disparities (2018, revised ed., 2019).

Não é pouca coisa. Talvez falte ali uma econometria. Mas a teoria importa, não? A propósito, outra ausência na lista citada é a de Gary Becker.

economia dos esportes · Uncategorized

The First North American Association of Sports Economists Virtual Conference

Estamos lá. Para quem não conhecia o (badalado) tema de Sports Economics, aqui vai a programação. A participação é free of charge, bastando enviar mensagem para este endereço: aasecon@gmail.com. Imagino que a antecedência seja um bom comportamento. ^_^

A programação? Aqui está.

MONDAY June 29
9:00 – 11:00 am
Session 1: Topics on College Sports
Presiding: VICTOR MATHESON, College of the Holy Cross

CRAIG DEPKEN, UNC Charlotte – Wage Disparity and Team Productivity: Expectations vs.
Reality

RYAN PINHEIRO, University of Michigan and STEFAN SYZMANSKI, University of Michigan – An Extended View of the Moneyball Hypothesis

ANNA BYKOVA, National Research University Higher School of Economics, DENNIS
COATES, UMBC and HSE University, and PETR PARSHAKOV, HSE University – Is wage dispersion different from ability dispersion? Evidence from MLS

EVA MARIKOVA LEEDS, Moravian College and MICHAEL LEEDS, Temple University – Markets and Income Inequality in Professional Sports

Discussants: Open discussion for each paper among participants

MONDAY June 29
11:00 am – 1:00 pm
Session 2: Cheating, Performance, and Crime in Professional Sports
Presiding:
BRAD HUMPHREYS, West Virginia University

QI GE, Vassar College and BRAD HUMPHREYS, West Virginia University – Athlete Misconduct and Team Sponsor Stock Prices: The Role of Incident Type and Media Coverage

JOHN CROOKER, University of Nevada, Las Vegas, CHRISTOPHER AZEVEDO, University of
Central Missouri, and A
JU FENN, Colorado College – Performance gains through cheating: A benchmark for identifying other rules violations in Major League Baseball

CLAUDIO SHIKIDA, UFPel and Enap, DAIANE AREND, Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Sul, RODRIGO FERNANDEZ, UFPel, and REGIS ELY, UFPel – More sports, more crimes? An analysis for the Metropolitan Region of Porto Alegre

ARNE FEDDERSEN, University of Southern Denmark – Do consumers care about doping scandals in sports? Evidence from TV broadcasts of the Tour de France in Denmark

Discussants
: To be determined

MONDAY June 29
2:00 – 4:00 pm
Session 3: Economic Impact of Sports
Presiding:
E. FRANK STEPHENSON, Berry College

VICTOR MATHESON, College of the Holy Cross, ROBERT BAUMANN, College of the Holy Cross, and E. FRANK STEPHENSON, Berry College – Comparing the visitor impact of sporting events vs. cultural events: Evidence from hotel data

NOLA AGHA, University of San Francisco and DANIEL RASCHER, University of San Francisco – The Economic Development Effect of Professional Teams and Stadia on Business Growth

J.C. BRADBURY, Kennesaw State University – Sports Stadiums and Property Values: Evidence from Cobb County, Georgia

CANDON JOHNSON, West Virginia University – The Impact of the Olympic Games on
Employment Growth: A Synthetic Control Approach

Discussants:
Open discussion for each paper among participants

MONDAY June 29
4:00 – 6:00 pm
Session 4: Topics on College Sports
Presiding:
JANE RUSESKI, West Virginia University

JOHN HARTER, Eastern Kentucky University and MATTHEW HOWELL, Eastern Kentucky
University – The Benefits of Changing NCAA Division I Levels: A CVM Measurement

PETER GROOTHUIS, Appalachian State University and AUSTIN EGGERS, Appalachian State University – The effects of winning a national championship in men’s basketball on the student profile of a university

PATRICK REILLY, Skidmore College, BRAD HUMPHREYS, West Virginia University, and JANE RUSESKI, West Virginia University – Competition Among Athletic Conferences for New Members: Evidence from NCAA Sports

Discussants:
To be determined

TUESDAY June 30
9:00 – 11:00 am
Session 5: Economics of Soccer and Attendance
Presiding:
VICTOR MATHESON, College of the Holy Cross

JUAN DE DIOS TENA HORILLO, University of Liverpool, MARCO DELOGU, University of Sassari, and STEFANO CABRAS, Universidad Carlos III de Madrid – Multi-task Activity Allocation of Effort and Attention in Teams: The Case of Euorpean Soccer

DANIEL WEIMAR, University of Duisburg-Essen – A Bright Spot for a Small League: Social Media Performance in a Football League without a COVID-19 Lockdown

STACEY BROOK, DePaul University – Does General Admission Alcohol Availability Affect
College Football Attendance and Revenues?

JEREMY LOSAK, Syracuse University and SAMUEL MARTEKA, Syracuse University – The Impact of College Conference TV Networks On College Football And Basketball Attendance

Discussants:
To be determined

TUESDAY June 30
11:00 am – 1:00 pm
Session 6: Effect of Incentives and Game Strategies on Performance
Presiding:
CRAIG DEPKEN, University of North Carolina – Charlotte

CHRISTOPHER CLAPP, University of Chicago and ROBERT HENDERSON, Jaeb Center for Health Research – Speed Kills? The Effect of the Hurry-Up-No-Huddle Offense on Injuries in College Football

DYLAN BLECHNER, Syracuse University, SHANE SANDERS, Syracuse University, and WAYNE GROVE, Le Moyne College – Do (non-monetary) bonus incentives improve performance? Evidence from basketball 1-and-1 free throw shots

WAYNE GROVE, Le Moyne College, DYLAN BLECHNER, Syracuse University, and SHANE
SANDERS, Syracuse University – Differential Performance with High Versus Low Stakes
Incentives: Evidence from a Routine, Standardized, Non-Monetary Task

JAMES READE, University of Reading – Outcomes with asymmetric payoffs: The case of the Soviet Football League

Discussants:
Open discussion for each paper among participants

TUESDAY June 30
1:00 – 2:00 pm
NAASE Executive Committee Meeting

TUESDAY June 30
2:00 – 3:00 pm
NAASE General Membership Meeting

TUESDAY June 30
3:00 – 5:00 pm
Session 7: Open
TBD if necessary

TUESDAY June 30
5:00 – 7:00 pm
Session 8: Topics in Professional Sports
Presiding:
BRAD HUMPHREYS, West Virginia University

QI GE, Vassar College and BRAD HUMPHREYS, West Virginia University – Vertical Integration and Competitive Balance in Professional Sports: Evidence from Minor League Baseball

TED HAYDUK, New York University – Stakeholder Ideological Congruence and Firm
Performance: Evidence from Major League Baseball

DENNIS COATES, UMBC and PETR PARSHAKOV, HSE University – The Wisdom of Crowds and Transfer Market Values

ROSS BOOTH, Monash University, BEN MURATORE, Monash University, and ROBERT
BROOKS, Monash University – Competitive Balance and Match Attendance in The Rugby
Championship

Discussants:
To be determined

WEDNESDAY July 1
9:00 – 11:00 am
Session 9: Gender, Youth, and Sports
Presiding:
VICTOR MATHESON, College of the Holy Cross

JILL HARRIS, United States Air Force Academy and JOHN DULIN, United States Air Force
Academy – Are Elite Gymnasts Exploited?

VELDA BULDAS, University of Tartu – Centrally Manageable System for Public Sector Sports Grants’ Distribution to Children and Youth Sport

ALEXANDER BINDER, Pittsburgh State University, PAUL GRIMES, Pittsburgh State University, and RUSSELL WINTERBOTHAM, HorseRanker Social Network for Horseplayers – In the Money: Gender and Jockey Success on the Thoroughbred Racetrack

Discussants:
To be determined

WEDNESDAY July 1
11:00 am – 1:00 pm
Session 10: Effect of Behavior and Environment on Performance and Earnings in
Professional Sports

Presiding: JILL HARRIS, United States Air Force Academy
J
ANE RUSESKI, West Virginia University and BRAD HUMPHREYS, West Virginia University – Air Quality and Employee Performance: Evidence from the NFL

LUCA FUMARCO, Tulane University – Multi-year Contracts and Workers’ Performance: Evidence from the National Hockey League

BRIAN SOEBBING, University of Alberta, NICHOLAS WATANABE, University of South Carolina, and PAMELA WICKER, Bielefeld University – NFL Player Career Earnings and Off-Field Behavior

PETR PARSHAKOV, HSE University, MARIIA MOLODCHIK, HSE University, and SOFIA
PAKLINA, HSE University – Peer effects and individual performance: Evidence from association football

Discussants:
Open discussion among participants

PaperCamera2017-05-13-10-53-42

pandemia

Aeroportos e Covid-19

A ICAO nos dá uma visão bem realista da queda das conexões presenciais entre pessoas (embora os vôos de carga tenham aumentado, por exemplo, dentro dos países). Aliás, é uma boa base de dados de restrições nos aeroportos pelo mundo. Ah sim, há um API para se obter os dados lá.

aeroportos_covid

Desenvolvimento econômico · Economia Brasileira · história econômica brasileira · história econômica do Brasil

Nossa substituição de importações foi tão boa que deveria…não, espera…

A despeito dos entusiastas (muitas vezes amigos de palestrante$?) apologetas do industrializamais, o fato é que os dados, analisados com bons métodos científicos, nem sempre confessam o que eles gostariam. Mais um artigo para a pilha.

skynet_28helena_bonham_carter29
Não, filho, não é como você queria…

economia do futebol

A vantagem de se jogar em casa

Lembra do nosso artigo usando dois clássicos do futebol gaúcho para refinar o estudo deste curioso fenômeno da vantagem do mando de campo? Pois o tema segue em alta. Este pessoal aqui tem 45 anos de observações para o futebol britânico e o resultado foi…

The average home advantage over the period of analysis was 0.63 points and 0.45 goals difference. Finally, we find that over time there is a substantial decline in the home advantage that materializes equally across the leagues.

Gostou? É, eu também.

PaperCamera2017-05-13-10-53-42