Mamão frito, com sal, etc

Lembro-me da minha falecida avó contar que, ao chegar a este país, obviamente, não encontrou a gastronomia que havia no Japão. Um dos improvisos era fritar mamão, muito provavelmente porque não sabiam como comer a fruta.

Sempre achei pitoresca esta história e nunca imaginei que outros imigrantes japoneses passassem por isso. Bem, isso até ler Nomio (2007), em sua biografia romanceada de Shuhei Uetsuka (sim, o homem por trás do famoso viaduto).

Não tinham apetite, colhiam melancia selvagem, derrubavam mamão verde, colocavam sal e comiam. [Nomio, Toru. “O homem da mata selvagem: saga do pai da imigração japonesa, Shuhei Uetsuka”. Editora Jornalística Inião Nikkei, 2007, p.44]

E pensar que hoje a turma curte um picolé coreano de melão lá na Liberdade…

p.s. fugimos do tema central do blog, mas foi irresistível…

Anúncios