antitruste · Organização Industrial · startups

Startups e antitruste

Questão interessante sobre startups e política antitruste.

Should there be limits on startup acquisitions by dominant firms? Efficiency requires that startups sell their technology to the right incumbents, that they develop the right technology, and that they invest the right amount in R&D. In a model of differentiated oligopoly, we show distortions along all three margins if there are no limits on startup acquisition. Leading incumbents make acquisitions partially to keep lagging incumbents from catching up technologically. When startups can choose what technology they invent, they are biased toward inventions which improve the leader’s technology rather than those which help the laggard incumbent catch up. Further, upon obtaining a pure monopoly, the leading incumbent’s marginal willingness to pay for new technologies falls abruptly, diminishing private returns on future innovations. We consider antitrust measures that could help to mitigate these problems.

Anúncios
antitruste · brasil · CADE · rent-seeking

A necessidade imperiosa

Os empresários que possuem franquias dos Correios são tão importantes, mas tão importantes, que a renovação da franquia se dá por Medida Provisória. Mas, vem cá leitor, Medida Provisória não é algo importante e perigoso demais para ter seu uso avacalhado por qualquer motivo? Ou será que renovar franquias de um serviço público é algo tão urgente assim?

Eu não conheço nada do setor, não sei como o governo mede a eficiência de suas franqueadas (se é que mede…), mas creio que um pouco mais de cuidado com as leis não faz mal. Talvez o Jorge Vianna Monteiro comente isto em uma de suas próximas cartas. De minha parte, eu me espanto com a necessidade imperiosa que o Poder Imperial Executivo diz haver para sua concorrência com estas “centenas” de “poderosas” concorrentes que os Correios alegam ter. Eu, se no CADE estivesse, estaria com as mãos coçando…