Carro sem motorista? Nem chega perto do “uber” soviético

Ainda o livro de Alec Nove, de 1963 (edição brasileira), A Economia Soviética, nas páginas 198-9 vem a inacreditável e talvez mais engraçada tentativa dos planejadores socialistas de criar incentivos sem considerar a lógica econômica.

Também há relatórios de que os motoristas de táxi  verificam ‘valer a pena’ gastar gasolina dirigindo um táxi sem passageiro, de modo a cumprir o plano, desde que seu abono por cumprimento do plano exceda a quantidade em que no taxímetro ‘falta’. [p.198-9]

Imagino o observador ocidental inocente, dos anos 60, maravilhado com a quantidade de táxis circulando por Moscou, dando uma impressão de movimento e atividade econômica quando, na verdade, vários deles estavam, literalmente, indo de lugar algum para lugar nenhum (ou o contrário)…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s