Glórias fáceis não são tão gloriosas assim

É certo que o início é você ser festejado entre os seus porque escreveu uma página sobre a intervenção estatal em XXX (XXX = qualquer coisa). Mas depois disto, as questões ficam mais complexas e a gente tem que saber distinguir a contaminação ideológica (joio) da análise cética da realidade (trigo).

Este texto me lembrou de várias pessoas que sempre ficam irritadas comigo quando eu lhes mostro o argumento acima. Não que haja algo de errado em você ganhar sua vida panfletando, mas vender-se como especialista em XXX nunca tendo submetido um artigo a uma revista científica com avaliação cega, sobre XXX (ou sobre aspectos do mesmo) não é legal. Tudo tem um início, mas ficar no início e achar que chegou ao fim não é uma boa idéia.

Neste sentido, eu gosto muito da versão libertária de Jeffrey Miron, apresentada em uma série de pequenas vídeo-aulas que se inicia aqui. Claro, é só um início, exige estudo árduo para passar de simples vídeo-aulas para o conhecimento real. Mas, como eu disse, glórias  não são gloriosas sem trabalho duro.

p.s. O texto citado realmente merece meu agradecimento: cansei de ver gente se perder no meio do caminho e ainda achar que eu era um sujeito exigente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s