Gestão e Coração

“Em resumo: vale o profissionalismo na gestão. Mesmo assumindo a tese de que esporte morre sem paixão, deve-se admitir que a paixão fica para a torcida, não para a gestão. Uma gestão que deve ser remunerada, em tempo integral, focada na maximização das receitas e redução dos custos, e na obtenção de títulos. A estrutura gerencial tem de ser semelhante à de uma empresa normal, sem nenhum traço de amadorismo”. [Aidar, A.C.K. & Leoncini, M.P. “A necessidade de profissionalização na gestão dos esportes”, in: Aidar, et al. A Nova Gestão do Futebol, FGV Editora, 2002, 2a ed, p.112]

O livro já está um pouco velho, mas o problema da gestão do futebol, central na economia dos esportes (e, por consequência, na economia do futebol), obviamente, segue incomodando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s