Uncategorized

Pluralismo na prática: a liberdade na estrada

Vejamos como a empreitada proposta em boa hora pelo Diogo Costa reflete nas pessoas.

A academia brasileira está prestes a testemunhar uma empreitada inédita no país. De Porto Alegre a Fortaleza, um grupo de intelectuais públicos percorrerá 13 cidades durante o mês de outubro com uma missão: apresentar aos estudantes universitários brasileiros o pensamento libertário, de apoio ao livre mercado, paz e direitos individuais. Cansados de ver as ideias liberais sendo retratadas apenas pelos seus oponentes intelectuais de direita e esquerda, eles agora querem apresentá-las em primeira mão.

A iniciativa é do OrdemLivre.org, projeto da Atlas Economic Research Foundation em cooperação com o Cato Institute, dois think tanks sediados em Washington, sem vínculos partidários e sem qualquer patrocínio estatal. Todo o financiamento do OrdemLivre.org vem de contribuições voluntárias e da venda de publicações.

O projeto consiste na realização de seminários nas principais instituições de ensino do país (como USP, UFRGS, UFMG e Ibmec) com conferências versando sobre temas relevantes como crise econômica, globalização e direitos humanos, além de questões espinhosas como reforma tributária e descriminalização das drogas.. As idéias de liberdade individual são universais, e unem pensadores como Joaquim Nabuco e Friedrich Hayek, mas suas aplicações encontram resistência de grupos de interesse que se beneficiam do status quo. O objetivo é convidar alunos e professores de todas as áreas do ensino para participar de um diálogo aberto que associe a teoria à prática das políticas públicas.

“Por décadas, os intelectuais de esquerda foram praticamente os únicos a apresentar aos estudantes brasileiros uma causa política baseada em princípios”, diz Diogo Costa, coordenador do OrdemLivre.org “chegou a hora de mudarmos esse paradigma, e mostrar o liberalismo como um ideal sublime que promove a paz e a prosperidade, e que não tem um histórico sangrento como o do socialismo”. Bruno Garschagen, gerente de relações institucionais de OrdemLivre.org, completa: “o debate entre diferentes correntes filosóficas é necessário para que a Universidade esteja livre das ortodoxias do pensamento e avance com a universalidade do conhecimento”.

Participarão da turnê: Adolfo Sachsida (economista), Bruno Garschagen (cientista político), Diogo Costa (cientista político), Hélio Beltrão (economista), Lucas Mafaldo (filósofo) e Rodrigo Constantino (economista).

Acho excelente que Diogo fale das propostas de políticas públicas na prática. Uma queixa comum – e correta, ao meu ver – sobre os liberais brasileiros é que eles nunca ou quase nunca propõem propostas realistas de política econômica (não vale resposta fácil como: “fecha o Banco Central”, “exporta brasileiros para a China”, ou “decreta a liberdade de mercados via Executivo”).

Lembro que o evento ocorrerá aqui, em BH, no Ibmec.