Uncategorized

Pergunta para os defensores do monopólio público

Por que é que quando uma conta atrasa por culpa de extravio dos correios (e nunca vem um documento oficial de comprovação de extravio, mas alguma anotação à caneta que eu mesmo poderia ter feito), o destinatário da conta é que arca com a multa?

Respostas sem lenga-lenga nos comentários. As mal-educadas o titio apaga, viu?

8 comentários em “Pergunta para os defensores do monopólio público

  1. Porque, em contrato, fala que você é que tem de procurar saber quanto deve, a conta só vai pelo correio porque os cobradores são bonzinhos! (Sim, é o que o povo do meu banco sempre me diz quando reclamo disso…)

    Mas isso não quer dizer que eu defenda o monopólio público de alguma coisa…

  2. Continuando a linha do girino(embora também não defenda este terrível monopólio, que no fim das contas não sentimos ainda mais graças ao e-mail, muito embora não me admire que algum burocrata tenha pensado na época que deveria ser monopólio público também…), certa vez vi na tv a explicaçâo: você só precisa pagar a conta se, dentro do prazo de vencimento, a empresa disponibilizar a você algum meio de pagamento. Por exemplo, todo mês eu recebo no meu celular uma mensagem com o código da minha conta e o valor da mesma. Ou você pode ligar para a empresa e pagar por telefone.

  3. Tenha a mais absoluta certeza que as empresas, se pudessem, NÃO USARIAM os serviços do correio.

    É caro, pouco confiável, não entrega em muitos lugares.

    O problema é que a jurisprudência dos Tribunais vem privilegiando o monopólio deles. Ai de quem se atraver a contratar um terceiro para a entrega das contas! Imediatamente vem o processo judicial.

    Para piorar, algumas decisões recentes vem impedindo até mesmo que a própria empresa entregue as contas por meio de seus funcionários. Isso funciona muito bem nas distribuidoras de energia elétrica, por exemplo; o mesmo sujeito que vai fazer a leitura do relógio medidor, entrega a conta do mês anterior.

    Pois bem, até isso os Correios estão dizendo que é quebra de seu Monopólio!

    E o pior, como já disse, é que eles simplesmente NÃO entregam as contas na área rural e nos pequenos povoados.

  4. Por causa do que dispõe o Código Civil:

    Art. 327. Efetuar-se-á o pagamento no domicílio do devedor, salvo se as partes convencionarem diversamente, ou se o contrário resultar da lei, da natureza da obrigação ou das circunstâncias.

    Via de regra, os contratos com prestadores de serviço invertem este ônus, isto é, o devedor deve efetuar, por exemplo, o pagamento mensal de uma conta telefônica.

    A obrigação existe receba ou não o consumidor a conta. Se não receber, deve procurar descobrir o quanto deve.

    Esta situação desagradável não deriva propriamente do monopólio estatal dos correios, embora agravada pela precariedade dos serviços prestados.

  5. Xará, sem querer criar polêmica… Acho que no final tudo se volta para aquele seu texto sobre sociedades individualistas gerarem melhores instituições. Há algum tempo, se me perguntassem o que eu achava de monopólios estatais eu diria “é um horror!”. Hoje, conhecendo o sistema de transporte suíço (http://www.swisstravelsystem.ch/Willkommen.52.0.html?&L=2) eu respondo “depende” (e não apenas isso, mas outros serviços públicos prestatos exclusivamente pelo governo suíço). A qualidade do serviço proporcionado é incomparável com o de qualquer empresa de transportes privada que eu já vi. O respeito ao cliente eu nunca vi em nenhuma empresa privada, nem mesmo nos EUA. Podemos dizer que a Suíça, pelo seu tamanho, é um ponto fora da curva. Mas quantos outros pontos mais haverá por aí? Infelizmente não conhecerei o mundo como gostaria para saber… 🙂

  6. A Dinamarca tinha serviços públicos de altíssima qualidade, e depois da venda dessas empresas para a iniciativa privada, a qualidade aumentou ainda mais. O que diferencia a qualidade desses serviços nesses locais é a demanda do consumidor por muita qualidade.

  7. “O que diferencia a qualidade desses serviços nesses locais é a demanda do consumidor por muita qualidade.”

    Juliano, discordo redondamente dessa afirmação. Isso quer dizer que nós não demandamos qualidade dos correios? Ou das telcos?

    O que diferencia a qualidade dos serviços é o incentivo que a prestadora tem para fazê-lo. Estes incentivos vêm por parte de agências reguladoras impondo pesadas multas pelo não cumprimento dos padrões de qualidade, vêm pela pressão de uma concorrência ou, no caso da Suíça, por um maior controle da população sobre a qualidade dos serviços públicos.

    Como eu disse, talvez a Suíça seja um ponto da curva. Mas pode ser que seja um ponto de uma outra curva, assim como a Noruega ou a Dinamarca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s