Uncategorized

Democracia e mercado

Esta dica eu li no Matizes. Trata-se do Voxeu.org. Eis aqui um exemplo dos artigos que você encontra lá.

Democracy is slowly spreading around the world. From the Middle East to Latin America and Asia, many autocracies are taking gradual steps towards more democratic and accountable forms of government, or have become fully-fledged and well functioning democracies. The US administration is determined to consolidate political freedoms in many developing countries under its sphere of influence; indeed, expansion of democracy has become a cornerstone of American foreign policy.

There are many reasons to celebrate the current democratic wave. Democracy is associated with less injustice and abuse, with basic civic and political freedoms, and with greater sensitivity by governments for the true priorities of its citizens. But how important is democracy for economic success?

Not much, the empirical evidence suggests. This might appear surprising. After all, is it not true that virtually all rich countries have democratic forms of government, while the poorest countries (mainly in Africa) are non-democracies? Indeed, throughout the world, democracy is strongly correlated with higher per capita income.

Clique aqui para ler o resto.

Claudio

Continue lendo “Democracia e mercado”

Anúncios
Uncategorized

Livro grátis

Um “download” que não é ilegal: The Secret Sins of Economics. Já indicamos este livro aqui. Recentemente, o Leo Monasterio o indicou em seu blog.

Estranho é que a mesma patota que vociferava que tudo era retórica e correu para traduzir um único ensaio de McCloskey, o autor do livro acima (atualmente, autora: ele mudou de sexo há alguns anos) nunca cita este outro livro tão ou mais importante do que o clássico artigo sobre retórica.

Aliás, este artigo sobre retórica foi muito mal utilizado por alguns mal intencionados. Em resumo, dizia-se que McCloskey faria uma daquelas “críticas irrefutáveis” à economia matemática. Ledo engano. Qualquer um que tenha lido um número de artigos dela maior do que um (e, preferencialmente, o “um” é o tal artigo) poderá ver que a crítica é mais específica – sim, muito importante – mas nada tem a ver com a crítica (na sua versão primitiva, tupiniquim, tosca) do uso da matemática na economia.

O problema é que, ao invés de reconhecer que estavam errados, os corifeus da má teoria preferem não citar (ou traduzir, editar e publicar) os outros artigos de McCloskey.

Pois bem. Se você quer enfrentar o desafio, leia o livro acima. Ele é pequeno, muito bem escrito e muito, mas muito importante para você se entender como economista neste mundo em que alguns professores trocaram a toga pelo microfone e passaram a fazer pregação ideológica.

Claudio

Continue lendo “Livro grátis”

Uncategorized

Quando eu crescer, quero ser igual ao Marcelo Soares

Reproduzo na íntegra.

Legislativo custa em média R$ 117,42 ao ano para cada habitante de capitais brasileiras

Levantamento nacional feito pela Transparência Brasil em orçamentos da União, estados e capitais demonstra que o brasileiro que mora nas capitais gasta em média R$ 117,42 por ano para manter funcionando as Casas do Poder Legislativo, em suas três esferas.

Essa é uma das conclusões do estudo, que compara os orçamentos do Legislativo da União, estados e capitais.

Entre as outras revelações contidas no estudo:

* A Câmara dos Deputados custa R$ 18,14 por ano para cada brasileiro. O Senado sai por R$ 14,48 por habitante.
* Entre os estados, a Assembléia Legislativa mais cara por habitante é a de Roraima (R$ 145,19), e a mais barata a de Sergipe (R$ 10,63).
* Entre as capitais de estados, a Câmara de Vereadores mais cara por habitante é a de Palmas (TO), que custa anualmente R$ 83,10 para cada morador da cidade. A mais barata é a de Belém (PA), com R$ 21,09 por ano.
* O trabalho legislativo é mais caro para habitantes de capitais menos habitadas – geralmente, as mais pobres. Enquanto em Boa Vista (RR) cada habitante paga R$ 224,82 anuais pelos serviços associados ao trabalho de seus representantes eleitos nas esferas federal, estadual e municipal, em São Paulo (SP) o custo é de R$ 68,51 por habitante.
* Em Boa Vista (RR), o gasto total com o Legislativo (federal, estadual e municipal) representa 4,7% do PIB per capita. No outro extremo, em Vitória (ES), o gasto total de cada habitante com o Legislativo representa 0,4% do PIB per capita.
* Em cinco estados e doze capitais, os dados orçamentários não estavam disponíveis na Internet.

O levantamento está em anexo a esta mensagem e pode ser baixado na Internet neste endereço: http://www.transparencia.org.br/docs/orca-legislativo.pdf

A Transparência Brasil está disponível para entrevistas a respeito do levantamento, pelo telefone (11) 3062-3436.

Claudio

Continue lendo “Quando eu crescer, quero ser igual ao Marcelo Soares”

Uncategorized

Bem-estar das rodovias federais

Um caminhão se acidenta a cada 5 minutos nas estradas federais. É o que mostra um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), com base em dados revisados recentemente pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Também foi feito um ranking de gravidade das rodovias, que aponta a Fernão Dias como a pior estrada do País. No Estado de São Paulo, porém, os trechos mais críticos estão na Régis Bittencourt.

De acordo com o Ipea, a diminuição na quantidade de acidentes e o aumento no número de mortos indicam que a gravidade dos desastres nas estradas aumentou. E as más condições das rodovias brasileiras, somadas à imprudência dos motoristas, levam a outro recorde negativo: segundo o sistema de informações de morbi-mortalidade do Ministério da Saúde, são registradas no País 35 mil mortes na área de transporte por ano; há quatro por hora, uma a cada 15 minutos.

Eis o link.

Por coincidência, neste semestre, orientei uma monografia muito interessante no qual o autor (aluno e policial rodoviário federal) também explora as relações entre segurança, acidentes e imprudência. Para quem acha que isto nada tem a ver com a Ciência Econômica, sugiro que faça uma busca no “google” por “efeito Peltzman”.

Claudio

Continue lendo “Bem-estar das rodovias federais”