Uncategorized

A vida no oligopólio

O que acontece em um oligopólio quando o jogo é seqüencial? Isto você já sabe. Outro dia um dos meus alunos perguntou em sala se havia alguma diferença, acho, no nível de bem-estar social quando se mudava a ordem da seqüência em um jogo com duas firmas com custos distintos. Ou algo assim.

Fizemos um mega-exercício sobre o assunto para responder a pergunta dele o que foi muito instrutivo.

Hoje, ao fazer minha visita habitual ao “Economic Bulletin”, encontrei um novo artigo sobre fusões em um modelo de Stackelberg. Veja a motivação dos autores:

Salant et al. (1983) examined a model of n identical Cournot competitors with linear costs of which m merge. They demonstrate that only in the unlikely event that more than 80 percent of the market merges could the participants earn profits as a result of the merger. This demonstration gave rise to a literature on “the merger paradox” and to a prolonged effort to identify alternative models in which mergers can be profitable. Huck et al. (2001) retain linear costs but adopt a Stackelberg model with m leaders and n-m followers. They show that if a leader merges with a follower, the merged firm earns more profit than its two pre-merger component firms. Yet, for all other types of mergers, followers merging with each other or leaders merging with each other, two firm mergers will never be profitable if there remains even a single excluded firm of the type merging (leaders or followers). In this paper, we modify the Stackelberg model of Huck et al. (2001) to allow for convex costs and focus on the possibility of profitable mergers between two followers and between two leaders.

Fusões são sempre interessantes? Se não são, porque tantas fusões? Ora, não conhecemos o custo das firmas e, assim, temos que adotar atalhos. Um deles é brincar um pouco com as diversas especificações de custos (que se resumem basicamente em duas: linear e não-linear). Eis o que, na verdade, os autores fizeram.

Claro que é um resultado interessante porque você usa uma função de custo (estritamente) convexa, ao contrário do que usualmente eu faço em sala (eu uso o excelente livro de Oz Shy com meus alunos).

Há várias perguntas interessantes a se responder nestes modelos, por mais que sempre pareça que já foi dito tudo que deveríamos saber. Não foi, não, cara. Eis aí um bom artigo, pequeno, simples (simples não é necessariamente fácil) e que qualquer um dos meus (bons) estudantes (não apenas alunos) poderia fazer. Digo, não os “meus”, mas qualquer bom estudante.

Claudio

Um comentário em “A vida no oligopólio

  1. Realmente interessante!

    Ah, depois vou produrar entender ou achara alguma explicação teorica para o “problema da taxação” com certeza ajuda a explicar algumas coisas aqui neh!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s