Uncategorized

China e a poluição

Os ativistas estão calados e não usam camisa com fotos macaqueando o presidente da República Bolivariana da China. E deveriam.

Bom, se Bush anunciasse um plano de redução da poluição, a blogosfera bolivariana seria a primeira a protestar. Mas porque tanto silêncio quando o assunto é a China? Por que tanta gentileza?

Nunca entendo. Ainda mais que os eco-fanáticos são os primeiros a se dizerem a-ideológicos. Algum eco-cara menos embriagado pela ideologia poderia tentar uma explicação.

Claudio
p.s. sim, eu gosto do meio ambiente. Veja o “Commons blog” aí ao lado.

Continue lendo “China e a poluição”

Uncategorized

Crime, mas não castigo

Sardenberg resume a blogosfera bolivariana:

Circula por aí o argumento, considerado humanista, dizendo mais ou menos o seguinte: se a sociedade não ampara suas crianças, se as deixa largadas nas ruas e favelas, não tem o direito moral de punir os adolescentes quando estes cometem os crimes. A tese correlata sustenta que os jovens caem no crime porque vivem numa sociedade pobre e injusta, com péssima distribuição de renda.

Leia o resto.

Claudio

Continue lendo “Crime, mas não castigo”

Uncategorized

Mas é mesmo a cultura?

Selva:

Cultura é muito importante e ajuda a explicar a nossa incapacidade de fazer boas leis e aplicá-las com eficiência. Vejam o exemplo espanhol no julgamento dos atentados de 3/11: “O ministério público acusou Ahmed de incitar pessoas a cometerem os atentados e pediu que ele seja sentenciado a mais de 38 mil anos de prisão – embora na Espanha o período máximo na prisão seja de 40 anos”. É bom lembrar que aquele palhaço que mandou prender o Pinochet, Baltazar Garzon, é um juiz espanhol….

Ok, este Baltazar nunca se pronuncia sobre Castro e outros mestres do totalitarismo, mas será que a culpa é da cultura mesmo?

Claudio

Continue lendo “Mas é mesmo a cultura?”

Uncategorized

Austrian Economics

Esta vai para meus amigos austríacos mais radicais.

Abstract: This article demonstrates certain doctrines of the Austrian school of economics are untenable. The focus is on certain aspects of capital theory undergirding Austrian Business Cycle theory. Quotations from the Austrian school economist Ludwig Lachmann and the Italian-Cambridge economist Joan Robinson exhibit common findings on the impact of expectations on the valuation of capital goods and the consequent difficulties in aggregating capital across individuals. This paper demonstrates an entrepreneur may simultaneously classify a capital good into several orders, as orders of goods are defined by Austrian economists. Hayekian triangles are defined. This paper demonstrates that the shape of a Hayekian triangle varies with the interest rate, even if real resources are not reallocated across stages of production. It is demonstrated, by means of an example, that no tendency need exist for entrepreneurs to respond to lower interest rates by reallocating resources from producing low order goods to producing higher order goods, or otherwise increasing the capital-intensity of the structure of production.

Como nossos leitores sabem, a SSRN tem vários artigos que podem ser obtidos gratuitamente (e outros, claro, são pagos).

Eu gosto de economia austríaca, mas não sou fanático. O nosso “Continental Economist” de Caxias do Sul é que vai gostar disto (veja links fixos ao lado).

Claudio

Continue lendo “Austrian Economics”