Uncategorized

Empreendedorismo não se ensina

…e muito menos inovação. Este texto, interessante, fala de política industrial sem defini-la. Fica um tanto confuso entendê-lo, embora esteja claro que os autores acham que políticas “horizontais”, “promoção de exportações”, “substituição de importações” são políticas industriais.

Pois bem, tome-se este trecho, onde os autores – corretamente, do ponto de vista moral – dizem não estarem em defesa de privilégios a setores específicos:

Os críticos à adoção de uma política de substituição de importações alegam que uma política de apoio a setores específicos levaria a um pleito generalizado por privilégios da parte de todos os industriais. Mas como já dissemos no início deste trabalho, um dos pontos principais a serem respeitados por uma política industrial setorial eficiente é a existência de seletividade, mediante critérios transparentes e racionais de escolha.

“Critérios transparentes” e “racionais” são pontos que exigiriam uma certa honestidade (embora eu possa ser transparente em dizer que vou beneficiar meu amigo e ponto final) e um poder de previsão (“racionais”) que fariam um crítico das expectativas racionais pular da cadeira.

Acabo de ler – e não estranho – que previsões sobre tecnologia são um bocado imprecisas. Em 1880, se o governo dos EUA tivesse seguido um critério racional e transparente de escolha, por exemplo, teria dito que não se deveria incentivar a produção de gramofones pois um especialista em inovação, Thomas Edison, disse que não havia valor comercial nisto. Por que deixar empresários ingênuos desperdiçarem seus recursos na produção de algo que não teria valor comercial?

Agora o que é irônico é que, no Brasil, há uma forte correlação positiva entre os que criticam as expectativas racionais e os que defendem políticas industriais. Como isto é possível dada tamanha inconsistência teórica? Não sei. Mas, enfim, eu não posso explicar tudo, não é?

Claudio

2 comentários em “Empreendedorismo não se ensina

  1. não creio que sejam conflitantes. Uma coisa é encher de $ e subsidio que é a caminho natural da politica industrial, outra coisa é a operacao do dia a dia e a estruturaçAo. Vamos ver se consigo explicar.
    O gov nunca teve politica industrial para cera de carnauba, certo? Produçao estabilizada em 16 mil tons ano. So que o BNB financiou na dec de 90 100 mil tons de capacidade extraçao em pequenas unidades fabris, isso é ou não é pol. indust.? Errada. O que seria raozável? Se eu quisesse colocar uma fab de 100 cardenos ano o BNDES financiaria? Isso aconteceu em babaçu, e inumeras outras materias primas que o gov conseguiu dizimar dando dinheiro à industria..
    2o ponto. politica indust ao meu ver pavimenta o caminho. investimento em p&d é sempre apoiado por gov, só q aqui investem nas academias que têm o foco em descobertas e não em inovação, ou seja o gasto não retorna em lucro nem em beneficio social imediato…
    Qdo eu peço politica industrial peço gasto focado (p&d para inovacao, politica de financiamento publico sensata, carga tribut sensata e parar as brincadeiras cambiais…)

  2. Eu entendo seu ponto, mas ainda assim, não sou tão otimista. O exemplo de Thomas Edison é muito interessante: será que os custos do “chute” dos burocratas são menores que os benefícios?

    Pedro Cavalcanti, da EPGE, escreveu um artigo muito bom no qual ele reclama disto nos defensores da política industrial. Não apresentam um mínimo cuidado em tentar estimar os custos de bem-estar e os benefícios para suas propostas.

    Quem defende uma política destas tem a obrigação de mostrar os custos e os benefícios. Eu gostaria de ver um estudo destes mas, até agora, não vi.

    O que você chama de “política industrial”, no último parágrafo, veja bem, é o que chamam de “política industrial”? Eu acho que tem gente que discordaria de você, certo?

    De qualquer forma, valeu pelo comentário. Como sempre, muitas questões para se pensar….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s