Desenvolvimento econômico

Ainda a China

Recentemente, li James D. Hamilton fazer as seguintes perguntas (tradução livre): (1) como pôde a demanda chinesa por petróleo aumentar 17% em 2004 quando o preço do petróleo bruto aumentou 35%; (2) como foi possível esta demanda ser reduzida, subitamente, para 1.4% na primeira metade de 2005, quando o PIB chinês cresceu 9.5% (…)”.

As questões levantadas pelo grande econometrista são pertinentes. E elas têm tudo a ver com o post anterior do Leo, meu co-blogeiro, sobre a veracidade dos números oficiais da China. Afinal, a revisão dos números é brutal: a queda da demanda estimada é demasiada. Hamilton chama a atenção para uma análise que relaciona esta estranha mudança com a forte presença estatal na economia.

Não ajuda muito quando comunicados importantes são tão obscuros como este do presidente do Banco Central chinês.

Claro, sendo uma ditadura, não seria de se esperar outra coisa: analistas acham que o problema de mensuração é político.

Claudio

14 comentários em “Ainda a China

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s