Uncategorized

Economia da defesa, versão macacos me mordam

O uso eleitoral do pré-sal – já na TV como se fosse algo assim, digamos, definitivo – não pára nos atos do presidente. Até os burocratas já fazem seu dever de casa.

Robert Higgs e Nordhaus nunca foram tão atuais…

p.s. alguém se lembra da história brasileira? II PND, Brasil-potência, estas coisas? Não?

Uncategorized

Onde está a responsabilidade social de Dilma e Serra?

Pergunta que obviamente surge quando se ouve o que ambos sempre declaram – de maneira discreta ou escancarada – o que pensam sobre a política monetária. Se você caiu na conversa mole de que “agora os juros cairão para sempre”, prepare-se e reveja suas expectativas.

Ah sim, se você não for racional, não ligue para o que eu escrevi. Só não me venha pedir dinheiro, nem aumentar minha carga tributária para repor suas perdas, tá?

Uncategorized

Anistia

É para isto que eles fizeram todo aquele arremedo de terrorismo no Araguaia: aumentar o PIB per capita concentrando renda. Lamentável esta esquerda brasileira. Tão mentirosa quanto qualquer outra esquerda, direita ou centro. 

Aprenda, leitor: monopólio da ética, nem com nove, nem com dez dedos na mão. Aliás, a mão visível do governo…geralmente está no seu bolso.

p.s. vai estudar Public Choice antes de se coçar para deixar seu comentário mal-educado, vai.

Uncategorized

Por falar em Irã na América Latina…

…Chavez acaba de confirmar as suspeitas de Robert Gates (ver post abaixo). O homem ameaça a vitória da oposição com uma guerra civil. Acho que foi este candidato a teocrata que foi citado pelo presidente da Silva – e vários membros de seu partido e aliados de esquerda – como um democrata, não? Recomendo, novamente, que as pessoas leiam ao menos o inacreditável resumo do texto que citei. O sujeito é capaz de repudiar individualmente cada opositor em seu país.

Só para recordar, os computadores de falecido (graças a Deus!) membro das FARC citava Chavez com muita fartura. Claro, se você quer se aliar a ele, veja este video esclarecedor sobre seus métodos revolucionários de administração pública.

Uncategorized

Quando a ciência ganha “função social”, o que acontece?

Reproduzo por inteiro, direto do Laurini:

O caso Luzin

Ontem ocorria uma animada discussão sobre o processo de revisão do Qualis, e um dos pontos era qual a pontuação que deveriam receber as revistas nacionais. Um ponto era que revistas nacionais eram supervalorizadas no Qualis atual, e o ponto contrário era que revistas nacionais desempenham um papel importante ao permitir a comunicação e discussão de alguns tópicos de interesse apenas local. Uma discussão muito importante.
Depois da discussão lembrei de um caso famoso na matemática :

The Luzin affair of 1936

On November 21, 1930 the declaration of the “initiative group” of the Moscow Mathematical Society which consisted of former Luzin’s students Lazar Lyusternik and Lev Shnirelman along with Alexander Gelfond and Lev Pontryagin claimed that “there appeared active counter-revolutionaries among mathematicians.” Some of these mathematicians were pointed out, including the advisor of Luzin, Dimitri Egorov. In September 1930, Dmitri Egorov was arrested on the basis of his religious beliefs and died in 1931. After his arrest he left the position of the director of the Moscow Mathematical Society and after him the director became Ernst Kolman. As a result, Luzin left the Moscow Mathematical Society and Moscow State University. In 1931, Ernst Kolman made the first complaint against Luzin.

In July-August 1936 Luzin was criticised in Pravda in a series of anonymous articles. It was alleged that he published “would-be scientific papers,” “felt no shame in declaring the discoveries of his students to be his own achievements,” stood close to the ideology of the “black hundreds”, orthodoxy, and monarchy “fascist-type modernized but slightly.” Luzin was claimed at a special trial of a Commission of the Academy of Sciences of the USSR which endorsed all accusations of Luzin as an enemy under the mask of a Soviet citizen. One of the complaints was that he published his major results in foreign journals. The method of political insinuations and slander was used against the old Muscovite professorship many years before the article in Pravda.

The political offensive against Luzin was launched not only by Stalin‘s repressive ideological authorities but also by a group of Luzin’s students headed by Pavel Alexandrov. Although the Commission convicted Luzin, he was neither expelled from the Academy nor arrested. There has been some speculation about why his punishment was so much milder than that of most people condemned at that time, but the reason for this does not seem to be known for certain. However, he was never rehabilitated even after the death of Stalin[4] [5].

Ter publicações internacionais já foi um ato de traição.

posted by Márcio Laurini at 2:05 PM

Muito cuidado com o discurso de que “falta humanismo (ou “função social”) para economia, peugeot 206 ou uma furadeira. O final, ensina-nos a história (a mesma “história” que geralmente usam para justificar a tal “função social”) é sempre o mesmo. Laurini prestou um serviço à blogosfera hoje. Quem leu este post e não sabia destas histórias do uso pterodoxo-bolivariano da ciência, aprendeu mais uma.

p.s. eu mesmo já falei disso aqui várias vezes, mas esta história foi genial.