Uncategorized

História e Relações Internacionais: China e EUA

History Matters in International Relations: Evidence from Long-Memory Processes in Sino-American Cycles 
Carlos D. Ramirez
Yingxin Du

Abstract
Measures of bilateral political relations are typically long-memory (fractionally integrated) processes. Appropriate inference and interpretation of this property hinges on the underlying reasons behind it. There are three possible explanations: (i) mechanical aggregation, (ii) bilateral relations history, and (iii) structural breaks. Explanations (i) and (iii) are data-induced, and thus not particularly meaningful. Explanation (ii) indicates that long-memory is a genuine feature in the series’ dynamics. Using Sino-American relations as a case study, we conduct three tests to identify the underlying cause. We first examine the stability of the long-memory parameter over the sample period (1980-2018), and discard structural breaks. Next, we evaluate the longmemory parameter for U.S.-China political relations, and for seven issues in the bilateral political relations portfolio. Finally, we investigate whether bilateral political relations and each of the issues are fractionally cointegrated. Our results suggest that the bilateral relations history is pivotal for explaining the observed fractional integration.

No mínimo, um artigo interessante. Sai do lugar comum, muito retórico, destes debates que até enchem auditório, mas não nos acrescentam muito em conhecimento.

Uncategorized

Por falar em Irã na América Latina…

…Chavez acaba de confirmar as suspeitas de Robert Gates (ver post abaixo). O homem ameaça a vitória da oposição com uma guerra civil. Acho que foi este candidato a teocrata que foi citado pelo presidente da Silva – e vários membros de seu partido e aliados de esquerda – como um democrata, não? Recomendo, novamente, que as pessoas leiam ao menos o inacreditável resumo do texto que citei. O sujeito é capaz de repudiar individualmente cada opositor em seu país.

Só para recordar, os computadores de falecido (graças a Deus!) membro das FARC citava Chavez com muita fartura. Claro, se você quer se aliar a ele, veja este video esclarecedor sobre seus métodos revolucionários de administração pública.

Uncategorized

Negociar com ditaduras vale a pena?

O caso norte-coreano mostra o quão estúpida pode ser a negociação externa republicano-democrata do governo dos EUA. Cada vez mais parece-me que com ditadores não há conversa. Ou você apenas mantém relações econômicas com eles – e que os interessados cuidem do ditador – ou então você parte para uma política preventiva com algum tipo de ação militar rápida e eficaz.

A Coréia do Norte segue sendo o maior fiasco do socialismo e, também, a mais estúpida das economias que já existiram na Terra.

Uncategorized

Resistência estava certo?

No debate entre Pedro Dória e o Fabiano, do Resistência, o centro da fogueira era a contradição de Dória (ou indecisão, como queira) em admitir a influência do ideário neo-socialista (Foro de São Paulo) na política externa brasileira. Esta nova evidência deixa Dória em situação mais difícil.

Como sempre, é uma hipótese, mas minha aposta é que os artifícios legais podem até, formalmente, salvar um argumento mas não necessariamente o tornam correto. Digo, alguém pode achar um artigo, um parágrafo, um código de lei que diga, sei lá, que a situação da evidência é diferente da que suscitou o debate. Mas se código legal resolvesse tudo, a lógica científica deveria ser regulamentada por algum advogado louco. Leis são criadas e não tornam os argumentos melhores ou piores (basta ver o lixo que os próprios profissionais do Direito invocam a cada dia em suas queixas sobre a lei brasileira).

Vejamos.

Uncategorized

Relações (Engraçadas) Internacionais – o (o)caso do Irã

For the last month, Iran has made about one new weapons announcement a week. All these breakthroughs in military technology involve new systems that, on close examination amount to, well, nothing. First there was the announcement of a new robotic submarine. No details were given, but it was soon discovered that such devices are available on the commercial market, mainly for scientific research. Some nations buy them for military purposes. Apparently Iranian submarine designers know how to use Google, but their counterparts in the publicity department did not.

É verdade que o presidente do Irã, em sua cruzada xenófoba, chegou a dizer que o Holocausto nunca existiu. Eu sei, eu sei. Não seria nada estranho que seus generais, agora, adotassem o mesmo modo de lidar com a imprensa mundial. Mas, cá para nós, mentira de perna tão curta…e tantas vezes…isto não vai dar certo. Alguém explique aos “algozes de Israel” que é preciso mais do que uma garganta para se construir um submarino…

p.s. e aquela história do photoshop no lançamento dos mísseis, heim? Talvez os burocratas iranianos, em breve, descubram também o Word, o Excel e o PowerPoint. Quando chegarem à era da internet, ninguém segurará o grande aliado dos bolivarianos latino-americanos!

Uncategorized

Relações Internacionais para dummies – I

Diz o Selva:

A Irrelevância do Itamaraty

Está claro que os governos europeus estão se esforçando em barrar a invasão de imigrantes brasileiros ilegais. Todo mundo vê isso, com a óbvia exceção dos barbudinhos delicados do Itamaraty, ocupados em proteger os terroristas das FARC e em comprar perfumes caros e roupas de seda. Vejam este caso na Irlanda em que o governo irlandês simplesmente ignora a embaixada brasileira. Se tivéssemos um governo responsável, com um pingo de vergonha na cara, teríamos um ministério das relações exteriores que não fosse motivo de gozação e ridículo internacional.

Aguardo ansiosamente por mais uma retaliação inteligente do nosso governo, provavelmente com a tal reciprocidade (que não vale quando o assunto é FARC, claro). O que será que mais incomoda os nossos bons diplomatas no governo atual?