Uncategorized

PPGOM divulga pesquisas de seus discentes

Excelente iniciativa do PPGOM, divulgando as pesquisas dos mestrandos e doutorandos. O primeiro depoimento está aqui. Sei que é auto-propaganda, mas se há um curso de mestrado e doutorado promissor no sul do país, este é o PPGOM.

Pense nisso ao fazer suas escolhas na prova da Anpec.

Uncategorized

A árvore do impeachment está na imprensa!

impeachpythonA aplicação estatística do prof. Regis em R e Pyhton – disponível aqui (e citada aqui há alguns dias) – foi parar na Folha de São Paulo deste sábado. Só um detalhe: minha única colaboração no projeto foi dizer ao Regis que a coisa toda estava muito legal.

Espero que vários estudantes de Economia percebam a importância do trabalho com big data (eu mesmo preciso começar a estudar isto em algum momento). Confira também a divulgação aqui e aqui.

Uncategorized

A árvore da maçã do impeachment e a serpente

Regis, meu colega do PPGOM, é um cara talentoso no uso do R. Deixa este que vos escreve no chinelo. Ele se propôs a um exercício interessantíssimo envolvendo R, política brasileira, impeachment e probabilidades. Quer saber o que ele encontrou? Clique aqui.

Eis um trecho da conclusão dele:

A árvore do Senado Federal nos mostra que a maior resistência ao Impeachment parece ser os partidos do PCdoB, PDT, PMDB, PP, PR, PRB, PSB, PSD, PT e PTB nos Estados AL, AM, AP, BA, MA, PA, PE, PI, PR, RJ, RN, RR, TO. O Impeachment precisa de 54 votos no Senado. Atualmente existem 36 Senadores com intenção de voto a favor e 26 contra. Assim, são necessários 18 votos dos 19 indecisos para a Presidente ser destituída do Cargo, ou então uma mudança no voto dos Senadores que se declararam contra o Impeachment.

Sensacional, não? Enquanto os cientistas políticos permanecem no papo de sempre, na Economia, gente como o prof. Regis faz o trabalho duro e nobre de tentar inferir algo importante a partir dos dados (ok, há cientistas políticos sérios, mas não posso deixar de seguir Tullock em seu famoso comentário sobre estes caras…sem link desta vez…).

Uncategorized

Análise de políticas públicas: PPGOM e saúde pública

Trecho:

A redução da mortalidade por diarreia em menores de um ano e das internações hospitalares por bronquites infantis em decorrência do desenvolvimento do programa Primeira Infância Melhor (PIM) no Estado são resultados constatados em estudo realizado pelos pesquisadores André Carraro e Felipe Garcia Ribeiro, do Departamento de Economia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a partir das linhas de pesquisas aplicadas em saúde. São alvo do trabalho as condições de saúde e desenvolvimento infantil. Em Pelotas o PIM funciona desde o início, em 2003, e atende quase duas mil crianças, segundo a coordenadora Maria de Lourdes Botelho.

Uncategorized

Parabéns aos envolvidos! PPGOM-UFPel, mais uma vez…

Olha a premiação aí:

O curso de Economia e o Programa de Pós-Graduação em Organizações e Mercados da UFPel foram destaque na premição do Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Sul. O professor Rodrigo Nobre Fernandez e o ex-aluno do Mestrado em Economia Aplicada Gabrielito Menezes, agora cursando doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ficaram em primeiro lugar na categoria artigo científico na premiação. O trabalho premiado foi “Pass-through da taxa de câmbio e índices de preços : uma análise para a economia brasileira (1999-2011)”.

O prof. Rodrigo e o Gabrielito são talentos que a gente sempre quer ter por perto. Vejam que bacana a notícia acima!

Uncategorized

A Copa do Mundo é boa ou ruim para a economia do país?

Bem, vejamos o que diz o Gallup:

Brazilians’ hopes are likely high Friday as their national team faces Colombia in the quarterfinals of the World Cup. Shortly before the tournament began, however, the Brazilian public was rather skeptical about the economic benefits of hosting the most expensive World Cup in history. In May, 55% of Brazilians said the World Cup will hurt the Brazilian economy, while 31% believed that it will help.

Pois é. O pessoal tem um palpite de que a Copa não é tão boa assim para a sociedade brasileira. Bem, caso você pense que nós, economistas, não temos nada com isso, dê uma espiada na lista de trabalhos aprovados para a ANPEC regional do sul deste ano. Lá você encontrará um trabalho que busca responder a pergunta do título deste post. O título do artigo é: Impacto Econômico da Copa do Mundo: Uma Avaliação pelo Método de Controle Sintético e seu autores são: André Carraro, Claudio Shikida, Felipe Garcia, João de Araújo, Vinícius Halmenschlager.

Resumidamente, o que nós fazemos é avaliar o impacto da Copa do Mundo sobre o PIB per capita do país ao longo dos anos após o evento, no período de 1990 a 2006. A análise incluiu as copas realizadas na Itália, Estados Unidos, França, Coréia do Sul, Japão e Alemanha. Mas além do PIB per capita, resolvemos também analisar a trajetória dos gastos de turistas no país-sede. O que foi que encontramos?

Conforme a literatura dos megaeventos, não há ganho significativo para o PIB per capita dos países-sede. Para o caso de Alemanha e Japão, encontramos que gastos de turistas aumentaram após a realização do evento, o que pode ser uma evidência de que há algum ganho na formação da poupança externa dos países-sede.

Repare que nossa análise foi individualizada, i.e., fizemos o mesmo estudo para cada país-sede, o que nos permitiu obter resultados desagregados. Assim, por exemplo, nossas estimativas nos dizem que o ganho de gastos em turismo na Alemanha foi de US$ 23 bilhões no período 2005-2010. Para o Japão obtivemos que este ganho foi de US$ 32 bilhões no período 2003-2009. Estes efeitos, claro, foram obtidos já livres de outras influências que, esperamos, foram controladas na construção de nossos contrafactuais.

O artigo ainda está sob revisão – pretendemos fazer mais algumas brincadeiras – mas se você queria uma resposta preliminar sobre os impactos da Copa do Mundo sobre a economia, aí está. Talvez os resultados da pesquisa do Gallup estejam nos dizendo mesmo algo sobre os impactos econômicos deste megaevento. Além disso, para terminar este texto com tristeza, é muito desagradável ver que a pressa em cumprir o desejo do ex-presidente da Silva possa resultar em desastres como este (veja o vídeo abaixo com o exato momento em que uma obra do PAC da Copa se transforma em tragédia).

Uncategorized

Momento PPGOM do Dia

20140625_150532
Rodrigo e eu na mesa alheia

Mais uma vez, Rodrigo salva o dia com a informática. A mesa do André Carraro, devidamente ocupada após a invasão de ontem. O pessoal do PPGOM, como sempre, muito simpático. Já encontrei por aqui: Régis, Fábio, André, Felipe, Rodrigo, Daniel, Júlia (agora em versão “grávida”) e, claro, os alunos do mestrado.

Nada como um bom ambiente de trabalho. De quebra, ganhei um livro em um concurso da LeYa. Depois conto detalhes.

Uncategorized

Momento R do Dia – ARIMA e uma breve palavrinha sobre o PPGOM

O professor Regis acabou com a folga da galera! Agora, todo mundo vai ter que estimar um bom ARIMA na matéria dele. Eu acrescentaria – a título de sugestão – o pacote urca para mais testes de raiz unitária. Mas isto é com ele. O material cobre a análise de Box-Jenkins (ah sim, não tem sazonalidade, esta seria outra sugestão).

Como meu curso de R lá no PPGOM (no final de junho) pretende ajudar a turma com o curso do Regis, tentarei fazer uma complementação dos tópicos do curso dele.

Ah sim, em breve, imagino, teremos uma explosão de mestres em Economia do PPGOM utilizando intensivamente a econometria. Pelotas vai ganhar muito em capital humano no longo prazo, graças ao trabalho desta turma que está lá: Tejada, Carraro, Passos, o Regis, o Fabio, Rodrigo, Felipe, Julia e Daniel e todos os outros listados nesta página.

Obviamente, não devemos nos esquecer do pioneiro Leo Monasterio, que trabalhou muito para que o PPGOM fosse o que é hoje, não é?

Uncategorized

A pesquisa avança nosso conhecimento!

Defesas de dissertações no PPGOM. Próximos capítulos:

Aluno: Guilherme Penha Pinto
Dia: 28/03/2014- 6a. feira
Horário: 9 horas
Local: Sala 2 do PPGOM no Campus Porto da UFPel.

Título: “Fatores de Influência na Política Antidumping no Brasil”

Orientador: Prof. Dr. André Carraro

Comissão Examinadora:
Profa. Dra. André Carraro (PPGOM/UFPel) – presidente
Prof. Dr. Felipe Garcia Ribeiro (PPGOM/UFPel)
Prof. Dr. Tiarajú de Freitas (FURG)

Aluno: Flávia Katrein da Costa
Dia: 25/03/2014- 3a. feira
Horário: 14 horas
Local: Sala 2 do PPGOM no Campus Porto da UFPel.

Título: “Desigualdades socioeconômicas no acesso a medicamentos: análise da prevalência de acesso a medicamentos de uso contínuo entre mulheres no Brasil”

Orientador: Profa. Dra. Andréa Homsi Dâmaso

Comissão Examinadora:
Profa. Dra. Andréa Homsi Dâmaso (PPGOM/UFPel e PPGE/UFPel) – presidente
Prof. Dr. Cristiano Aguiar de Oliveira (PPGOM/UFPel)
Prof. Dr. Aluísio Jardim Dornellas de Barros (PPGE/UFPel)