A Europa cresceu por causa do comércio colonial? (Não, a resposta não é óbvia)

Muitas vezes os preconceitos seguem nas análises mais rasteiras. Um deles é o de que, por exemplo, Portugal só cresceu e se desenvolveu por causa do ouro do Brasil. A afirmação é, no mínimo, controversa e a controvérsia, diga-se de passagem, dura anos.

Eis um resumo sintético sobre o debate.

Mais História Econômica Bacana

Abstract
The timing and nature of industrialization in Britain and continental Europe had significant consequences for the growth and development of labour market institutions, effects which are still felt today and which are visible in the conceptual structure of labour law and company law in different countries. However, contrary to the claims of the legal origin hypothesis, a liberal model of contract was more influential in the civilian systems of the continent than in the English common law, where the consequences of early industrialization included the lingering influence of master-servant legislation and the weak institutionalization of the juridical form of the contract of employment. Claims for a strong-form legal origin effect, which is time invariant and resistant to pressures for legal convergence, are not borne out by a growing body of historical evidence and time-series data. The idea that legal cultures can influence the long-run path of economic development is worthy of closer empirical investigation but it is premature to use legal origin theory as a basis for policy initiatives.

Mais uma vez eu pergunto a você, leitor: quantos alunos de história econômica têm o prazer de conhecer discussões realmente de fronteira? Poucos, não? Pois é. Parabéns aos professores que não se prendem à repetição de manuais nestas matérias.

Os perigos do politicamente correto: a selva pré-Pizarro

Historiadores que fazem jus ao diploma sabem que a história não é esta lenda dos supostos especialistas e consultores de órgãos dedicados à construção de uma novilíngua na qual “social” é sinônimo de anjos e “individual” é o próprio tinhoso.

Por exemplo, uma mentira disseminada por supostos professores de História em colégios é a de que Pizarro chegou e – destacam sempre o catolicismo – arrasou com inocentes autóctones.

Nada mais longe da verdade.

Pizarro chegou e encontrou um império selvagem que massacrava seus vizinhos. Tudo bem que o massacrou, mas é bom lembrar que contou com a ajuda de todos os oprimidos da época. Em outras palavras, não existia nenhum bom selvagem aqui, exceto na mente amalucada (ou romântica, como queiram) do Rosseau e seus seguidores.

Ao final, sim, a colonização se deu com um banho de sangue mas, por outro lado, banhos deste tipo ocorrem em outros momentos da história (como no extermínio de ucranianos sob as bençãos socialistas) sem a mesma reação nervosa dos supostos atores sociais. Digo, supostos não porque até que atuam bem no palco…

Textos que você gostaria de ler

Ah sim, isto é história econômica, não aquilo que você tem nos botecos da selva.