Uncategorized

A Copa do Mundo é boa ou ruim para a economia do país?

Bem, vejamos o que diz o Gallup:

Brazilians’ hopes are likely high Friday as their national team faces Colombia in the quarterfinals of the World Cup. Shortly before the tournament began, however, the Brazilian public was rather skeptical about the economic benefits of hosting the most expensive World Cup in history. In May, 55% of Brazilians said the World Cup will hurt the Brazilian economy, while 31% believed that it will help.

Pois é. O pessoal tem um palpite de que a Copa não é tão boa assim para a sociedade brasileira. Bem, caso você pense que nós, economistas, não temos nada com isso, dê uma espiada na lista de trabalhos aprovados para a ANPEC regional do sul deste ano. Lá você encontrará um trabalho que busca responder a pergunta do título deste post. O título do artigo é: Impacto Econômico da Copa do Mundo: Uma Avaliação pelo Método de Controle Sintético e seu autores são: André Carraro, Claudio Shikida, Felipe Garcia, João de Araújo, Vinícius Halmenschlager.

Resumidamente, o que nós fazemos é avaliar o impacto da Copa do Mundo sobre o PIB per capita do país ao longo dos anos após o evento, no período de 1990 a 2006. A análise incluiu as copas realizadas na Itália, Estados Unidos, França, Coréia do Sul, Japão e Alemanha. Mas além do PIB per capita, resolvemos também analisar a trajetória dos gastos de turistas no país-sede. O que foi que encontramos?

Conforme a literatura dos megaeventos, não há ganho significativo para o PIB per capita dos países-sede. Para o caso de Alemanha e Japão, encontramos que gastos de turistas aumentaram após a realização do evento, o que pode ser uma evidência de que há algum ganho na formação da poupança externa dos países-sede.

Repare que nossa análise foi individualizada, i.e., fizemos o mesmo estudo para cada país-sede, o que nos permitiu obter resultados desagregados. Assim, por exemplo, nossas estimativas nos dizem que o ganho de gastos em turismo na Alemanha foi de US$ 23 bilhões no período 2005-2010. Para o Japão obtivemos que este ganho foi de US$ 32 bilhões no período 2003-2009. Estes efeitos, claro, foram obtidos já livres de outras influências que, esperamos, foram controladas na construção de nossos contrafactuais.

O artigo ainda está sob revisão – pretendemos fazer mais algumas brincadeiras – mas se você queria uma resposta preliminar sobre os impactos da Copa do Mundo sobre a economia, aí está. Talvez os resultados da pesquisa do Gallup estejam nos dizendo mesmo algo sobre os impactos econômicos deste megaevento. Além disso, para terminar este texto com tristeza, é muito desagradável ver que a pressa em cumprir o desejo do ex-presidente da Silva possa resultar em desastres como este (veja o vídeo abaixo com o exato momento em que uma obra do PAC da Copa se transforma em tragédia).

Uncategorized

Eu adoro o futebol

A história da famosa música I Love You Ferrão

Um dos slogans mais conhecidos do futebol cearense é o famoso: “I Love You Ferrão”. Criada pelo competente jornalista Alan Neto, no início dos anos 90, a frase caiu no agrado do público cearense e, sobretudo, foi acolhida pela torcida coral.

“I Love You Ferrão” pode ser visto nos adesivos dos carros, nas faixas nos estádios, nas camisetas das crianças e em vários outros locais. O que pouca gente recorda é que o famoso slogan virou até música!

Em 1994, para comemorar o título do Ferrão, que evitou o tri-campeonato do Ceará, o conhecido compositor cearense Jackson de Carvalho homenageou o Ferroviário com a música “I Love You Ferrão”.

Não poderia haver local mais convidativo para o lançamento da canção. Ela foi apresentada pela primeira vez justamente no programa de rádio do Alan Neto.

Eu sei, parece até que incorporei o Cardoso ou o Bender, mas é difícil não rir imaginando um menino com uma camisa destas…e viva o Ferrão (acho)!