Economia do Conflito · falhas de governo · história · uso político da ciência

Novas aquisições

O primeiro, já na fila, é decorrência de minhas leituras iniciais sobre o uso bolivarian..digo, politicamente correto da ciência na Alemanha nazista (valeu, Cisco!). O segundo, na verdade, é um sonho de consumo antigo, adquirido graças à taxa de câmbio atual e é um clássico para qualquer um que estude Economia do Conflito.

Ou seja, um é lazer, o outro é trabalho.

uso político da ciência

Um pouco de História do Pensamento Econômico

Hoje eu vi em um ou dois blogs diferentes alguém dizendo algo como “estatística não prova tudo”. Isto é mais que óbvio. Mas é bom frisar o outro lado da moeda: : “sem estatística, menos ainda se prova”. Não é uma regra geral, mas quando se fala de Economia, é difícil negar isto.

Nos idos anos da pré-Segunda Guerra Mundial, alguém chegou a dizer:

Dois possíveis métodos podem ser utilizados para descobrir até que ponto um grupo de pessoas participou de uma forma específica de organização.
Um é o estatístico; o outro pode ser chamado genético.

(…) Minha finalidade era mostrar que, por várias razões, o número de judeus dos quais ouvimos falar é menor do que os que realmente existiram. O leitor deve, portanto, compreender que a contribuição dos judeus para a constituição da vida econômica moderna parecerá, necessàriamente, menor do que realmente foi”. [Werner Sombart, “Os Judeus e o Capitalismo, traduzido por Maria Regina Nabuco Palhano para “Economia e Ciências Sociais”, Zahar Editores, 1969, pp. 55,60]

Sombart iniciou seus estudos no marxismo (como Mussolini) e terminou sua vida numa estranha defesa do nacional-socialismo (entendeu porque citei Mussolini?). Em algumas leituras que fiz sobre o mercantilismo, descobri que Sombart não se mostrou muito preocupados com os dados (ah, a inútil estatística…), fazendo afirmações incorretas sobre uma suposta dominância dos judeus no capital da Companhia das Índias Orientais das Províncias Unidas (embrião dos Países Baixos atuais).

A moral da história é que desprezar as estatísticas é uma das formas de manipulação estatística. Ao mentir, Sombart manipulou os dados…a seu favor.

Claudio

Continue lendo “Um pouco de História do Pensamento Econômico”