brasil · pterodoxos de outras áreas · racismo · sociedade brasileira

Dia da consciência não-afro-descendente

Leia o trecho abaixo e continue:

Dia da consciência negra! Dia de combater o racismo; uma nobre causa. Já está nas livrarias o novo livro de Antônio Risério sobre a questão racial no Brasil, que apresenta uma visão original sobre o tema. Finalmente uma voz de peso e autoridade contra o movimento negro militante que espera combater racismo com mais racismo.

Também eu vou falar sobre o racismo; mas nada de cotas neste blog. Se já sou contra leis que proíbam empresas de discriminar por cor na hora de contratar, o que dizer de leis que ditem a cor a ser contratada? É o debate mais amplo do racismo que me interessa; mesmo porque acho que ele está, ironicamente, repleto de preconceitos.

Há algo, chamado “racismo”, que todos, inclusive eu, concordam ser condenável. Uma definição dele que considero muito boa é “ódio racial”; racismo é odiar (isto é, querer o mal de) alguém por sua cor de pele, tipo de cabelo, formato dos olhos, etc, ou então por traços culturais de sua etnia. É algo desprezível deixar que um traço totalmente acidental da pessoa, que em nada muda sua essência humana, nos faça tratá-la de forma sub-humana. E não há dúvida de que isso exista no Brasil de várias formas, embora eu, branco, não o sinta na pele.

Desarmamento · economia · racismo

As origens racistas do controle de armas…

…na Georgia. Outro que segue na íntegra:

THE RACIST ROOTS OF GUN CONTROL in Georgia.

Very interesting data on the 1906 Atlanta race riots, where mobs attacked black neighborhoods, the residents fought back (in an early form of straw man sales, light skinned residents bought guns for their neighbors), and police and the state militia responded with house to house searches for guns. The Atlanta Journal ran an editorial entitled “Disarm the Negroes,” endorsing the searches with comments such as “Should a collision between the races occur, it would be too late to deplore the fact that the negroes had been permitted to arm themselves.” The study also probes why GA law bans carrying at public assemblies, and notes the law was enacted after night riders attacked blacks who were travelling to a … public assembly, and they fought back.

This kind of thing isn’t news to those who have been paying attention, but it’s probably news to everyone else.

É interessante também ler isto. Talvez o argumento valha uma crítica, mas eis que aí está mais uma ponderação para não se sair por aí defendendo o desarmamento como algo intrinsecamente bom, cujos defensores são, intrinsecamente angelicais…