bolivarianismo · Cuba · dialética · socialismo real

O governo Lula promove fuga de cubanos

Parabéns, presidente da Silva e assessores do alto escalão! Vocês ajudaram, finalmente, alguém lá de Cuba.

Mais três cubanos fugiram da ilha. Desta vez, foram três músicos que vieram tocar no Brasil. Já não dá mais nem mesmo para fazer ironias com o fato de todo mundo estar sempre querendo fugir do “paraíso socialista”. O estoque já de piadinhas já se esgotou.

Contudo, não dá para deixar de rir com um pequeno “detalhe”: os cubanos escaparam depois de um jantar com simpatizantes da ditadura comunista ligados à Universidade Federal de Pernambuco. Estes “simpatizantes” (é estranho como aqueles que gostam do regime cubano apresentam uma forte tendência a NUNCA morar em Cuba) devem ser – dentre outros – os professores e alunos daquele mestrado “revolucionário” em Filosofia que levou pau da CAPES. Isso, porém, é o que menos importa. Todas as universidades bananeiras têm sua (enorme) quota de perfeitos idiotas.

É a dialética do sr. da Silva: ao tentar ajudar o ditador (o senhor que é escravo, ou vice-versa), ajuda-se a antítese, ou seja, a liberdade. Nem Spinoza, nem Hegel: Quércia presidente! ^_^

Anúncios
bolivarianismo · Cuba · Fidel Castro · lula · socialismo

Existe trabalho escravo?

Four Cuban sailors who jumped ship in Saint John citing brutal working conditions are now claiming refugee status.The sailors left the Greek-owned cargo ship Dimitra G docked at the New Brunswick port last Tuesday.

The men described poor working conditions on the ship, said interpreter Angel Negreira, with no heat or air conditioning.

“These people work a minimum of 84 hours a week. They have to work continuously.”

The men’s hands are covered in heavy calluses and torn skin. Their pay was between $2.50 to $3 per hour, Negreira said.

Aparentemente…existe.

bolivarianismo · brasil · Cuba · esquerda bolivariana · lula

O mimadinho

Minnie the Che

(…) o que mais aporrinha em Guevara, e estranhamente não parece incomodar muita gente, é que ele sempre foi o mó moocher: primeiro vivia sustentado pelo pai, exemplar daquela famosa catigoria latino-americana, o aristocrata-de-esquerda; aí, depois de desperdiçar o dinheiro da família e o do Ministério da Educação argentino, largou a faculdade de medicina sem curar ninguém; quando viajou de moto pela América latindo, a moto num era dele; depois, tentou se imiscuir na revolución da Guatemala (perdeu), e mais uma vez pegou carona na briga alheia, em Cuba. Em seguida, depois de assumir o comando da economia cubana –com as conseqüências guevaristas usuais-, foi de novo vampirar revolução alheia, na África; e antes de morrer, tentando uma vez mais, er, libertar o país dos outros, ele também aproveitou pra fazer filho na mulé do próximo.

Uncle Filthy compartilha as coisas que mais o irritam em relação ao fidelismo. Essa nem é pior.

Agora entendo porque tanto menininho rico usa camisa com a estampa do assassino de esquerda.

autoritarismo · Cuba

Cubanos refugiados

Dois meses após o Pan, Brasil concede refúgio a dois atletas cubanos.

Mas esses dois não são aqueles boxeadores que o Brasil fez o “favor” de extraditar.

Ainda não consigo aceitar a idéia de que o governo “assassinou” a possibilidade dos boxeadores terem uma vida menos explorada . Por que não foi concedido refúgio para eles, se o motivo alegado pro eles foi o mesmo que o do ciclista e do jogador de handball?

Pode saber que tem o dedo do Fidel aí no meio.

Cuba

Cuba

Acho que foi o Renato Drummond que me perguntou sobre os dados de Cuba. Bem, tentei achar algo para ele.

* Este site é anti-Castro (quem não é, digo, em sã consciência?), mas tem dados da ONU e do FMI.

* Já este estudo parece mais interessante.

Ah, incrível como o cara mente:

Another example is provided in Castro’s 1953 speech “La Historia me Absolverá.” There, Castro stated that there were 700,000 unemployed in Cuba, when the 1953 Census gave only 173,811 unemployed and a total of 266,572, at all other levels of underemployment. Also, the Cuban government reminds us that the 1961 literacy campaign taught “one million Cubans” to read and write. But it does not say that there were over four million adults already literate, nor that Cuba’s literacy rate was 73 %, among the highest in Latin America at the time.

Fidel é um destes ditadores que metade da selva adora e outra metade odeia. E, muitas vezes, quem reclama de Pinochet deitaria na cama com Fidel com perfume e tudo! Credo!

Claudio
p.s. veja mais sobre Cuba procurando por Jorge Perez-Lopez no LANIC e aqui.
p.s.2. algumas falsificações de dados aqui.

Continue lendo “Cuba”