Cerveja · microeconomia · Organização Industrial

Cartéis são instáveis? Beba uma antes de ler isto!

Tullock's Beer

Em setembro de 1931, a Brahma propusera aos seus concorrentes um pacto de preços para as vendas no interior em que as cervejas de primeira qualidade seriam vendidas a 78$000 a caixa com quatro dúzias, ou seja, 1$625 a unidade. Acima, portanto, do preço unitário médio praticado pelas cervejarias até então. Passados três meses, em novembro, cartas dos viajantes informam que o acordo não se sustentava e os viajantes das fábricas concorrentes lançavam mão de todos os recursos para conquistar a freguesia. A Hanseática, por exemplo, enviara um carregamento de três vagões de cerveja que foram vendidas a preços da tabela antiga. Em consequência, os mercado de Barra do Piraí, importante entrocamento da Estrada de Ferro Central do Brasil, ficou abarrotado de cervejas da Hanseática. Outros viajantes ofereciam mobiliário para os bares, uns recompravam os vasilhames vazios a preços inferiores aos da tabela combinada entre as cervejarias, também se ofereciam desconto de fretes e prazos de pagamento dilatados. [Marques, Teresa C. de N. (2014). A cerveja e a cidade do Rio de Janeiro, Editora UnB, p.298-9]

Parece que seu professor de microeoconomia merece um growler daquela artesanal de trigo, heim?

Cerveja · off-topic

Todo adolescente já tentou…e eu também

Raspadinha de cerveja

Pois é. Eu pensava em fazer um sorvete de cerveja, mas minha distinta e smarter senhora resolveu inovar e tentamos uma raspadinha de cerveja. A boa notícia é que congela. A ruim é que não desce redondo. Estamos a pensar em novos condimentos para resolver o problema. Talvez o Bender possa nos ajudar.

Cerveja

Hic… Hic… Isso sim é moeda… hic..

A BBC nos conta que as tampinhas de cerveja viraram moeda no simpático Camarões. A onda surgiu devido às promoções de cervejarias concorrentes. As tampinhas são premiadas e podem render celulares ou mesmo automóveis.
Conta a notícia que as tampinhs já são usadas até para o suborno dos policiais locais. Teremos que mudar a frase. Sai o “Para a cervejinha” e entra o “Da cervejinha”. (eca… essa foi sem graça).

Leo

Continue lendo “Hic… Hic… Isso sim é moeda… hic..”

Cerveja · Humor

Cerveja na vida acadêmica: um sinal de bom senso?

Acho que o Leonardo Monasterio (não confunda com Cesar Leonardo Monasterio) certamente terá algo a dizer sobre capital social após ler este interessante post do blog Mahalanobis sobre interação social e cerveja.

E, sim, leitor, fiquei feliz em ouvir que novas cervejas estão sendo criadas. Lembre-se do que eu disse sobre Ben Franklin.

Claudio

Continue lendo “Cerveja na vida acadêmica: um sinal de bom senso?”