Uncategorized

Receitas e gastos públicos: como os privilégios explicam o problema

Esta semana foi polêmica por conta das discussões sobre o aumento do imposto na gasolina. Isto me fez lembrar…

Quando o estão chefe da Receita, Osiris Lopes Filho, obrigou os integrantes da seleção a declarar o que traziam, Teixeira e os jogadores aemaçaram devolver as medalhas do título conquistado, presentes de Itamar Franco, e não participar dos desfiles programados para festejar a Copa. Branco chegou a entregar a taça conquistada, uma réplica, ao fiscal da Receita, dizendo: “Toma, pode confiscar”. Muito antes desse episódio, quando a Copa ainda estava em andamento, Teixeira havia pressionado o governo Itamar a aliviar a fiscalização da Receita, alegando que os jogadores estavam ficando “nervosos” com a possibilidade de serem autuados na volta – uma óbvia chantagem. Osiris foi afinal desautorizado pelo ministro da Fazenda, Rubens Ricupero, e pediu demissão no dia seguinte. No episódio, os jogadores saíram como muambeiros – para 70% dos brasileiros, segundo pesquisa, eles tinham de pagar os impostos devidos – e o governo apareceu como fraco e hesitante, uma marca da administração Itamar. [Guterman, Marcos. O futebol explica o Brasil, Contexto, 2009, p.246]

É por essas e outras que o Brasil é conhecido como o país dos privilégios.