economia do futebol · Uncategorized

Vale a pena encher vários ônibus de torcedores para jogos fora de casa?

PaperCamera2017-05-13-10-53-42Esta é uma pergunta válida porque times de futebol têm recursos escassos e decidir como alocá-los é uma tarefa sabidamente difícil. Não fiz uma pesquisa ampla, mas achei interessante este resultado encontrado para o beisebol dos EUA. Vejamos o resumo:

We examine the role of attendance in home-field advantage for Major League Baseball, using a dataset of all MLB games played from 1996 to 2005. Using two-stage least squares, we find that attendance has a significant effect on the home-field advantage. Our results indicate that a one standard deviation increase in attendance results in a 4% increase in the likelihood of a home team win. We also find that if attendance as a percent of stadium capacity were to increase by 48%, we would expect the home team’s run differential to increase by one run. We show that the additional home-field advantage is driven by increased home team performance.

Bem, digamos que o mesmo ocorre em outras amostras de esportes como o futebol (uma hipótese heróica, eu sei, mas só para estimular o debate). Neste caso, teríamos que torcida seria importante em jogos em casa (ou seja, o efeito home advantage), ceteris paribus (= “tudo o mais constante”) outros fatores. Claro, não adianta ter uma torcida gigante se o conjunto composto de equipe técnica e plantel da equipe não funcionar.

Ah sim, antes de terminar este texto encontrei uma referência a um estudo que mostraria que a torcida é importante, mas novamente em jogos realizados em casa. O complicado desta pergunta, acho, está em se entender o mecanismo de transmissão da torcida: como é que a pressão da torcida se traduz em desempenho melhor da equipe da casa?

Talvez o efeito seja relativo, ou seja, quando o time joga em casa – e a distância entre as sedes dos times é considerável – o tamanho da torcida do time da casa geralmente supera o do time visitante. Então, na verdade, o efeito seria relativo ao tamanho das torcidas. Caso isso seja correto, então, sim, valeria a pena encher vários ônibus com torcedores quando seu time jogar fora de casa.

Claro, ainda não fica claro, para mim, como é a transmissão do efeito da torcida sobre o clube, mas imagino que fatores psicológicos sejam importantes. Ah sim, vale a pena lembrar que isso não garante, por si só, resultado de jogos: estamos apenas detalhando um dos fatores que possivelmente explicam o bom desempenho de um time.

regulação · Uncategorized

Quando disserem, pejorativamente, a você que o Prêmio Nobel de Economia não é bem o Nobel…

…você já pode se sentir menos ofendido (ou não? Descubra lendo até o fim o artigo a seguir)  ^_^

Dynamite Regulations. The Explosives Industry, Regulatory Capture and the Swedish Government 1858-1948

Josefin Sabor, Lena Andersson-Skog

Abstract
In this article, we argue that the regulation of the explosives industry in Sweden between 1858 and 1948 can give a slightly different perspective on regulatory capture. In this case it was the upstart company, the Nobel Dynamite Company, and not the established explosives companies that in negotiation with the regulator succeeded in establishing new national regulations. Through three different cases we show that the method behind this successful capture was indirect and direct with a common trait of risk minimizing for the public that developed in cooperation with the regulator. 

O artigo é aberto e você pode obtê-lo sem pagar taxas.