Uncategorized

A realidade não é “do bem” contra “do mal”

Manifestações violentas geram resultados não-intencionais e nem sempre felizes. Veja, por exemplo, o caso de vom Rath, diplomata alemão, anti-nazista, que sofreu um atentado perpetrado por um judeu, vítima do vandalismo nazista (contra os quais raramente a polícia reagiu, se não me engano), que estava desesperado. [Veja a seção  “Shooting of Vom Rath aqui]

Percebe como vandalizar não é a melhor forma de manifestar? A polícia deveria ter evitado os vandalismos? Vom Rath era culpado porque era funcionário do governo? O infeliz Grynzpan deveria ter atirado em alguém? É fácil julgar as coisas sob o prisma “do bem vs do mal”, talvez o pior chavão legado por alguns famosos da TV para as gerações mais novas. Difícil mesmo é pensar.