Uncategorized

Mais Pareto-mito!

Ah sim, e o Pareto-mito ainda nos diz mais:
“Aperfeiçoar uma teoria é diferente de querer destruí-la por tolas e pedantes sutilezas; o primeiro trabalho é uma coisa sensata e útil, o segundo é coisa pouco razoável e vã, e quem não tem tempo a perder faz melhor se não cuidar disso”. [Pareto, V. Manual de Economia Política, Abril Cultural, 1988, 3a ed, p.85]
Muita gente, propositalmente, quer destruir e, de má fé, diz que está aperfeiçoando. Eu sei, eu fui aluno de gente assim.
p.s. vou fazer uma camisa com a foto do Pareto e escrever “Paretão das massas” o que, dado que ele era italiano, fica deliciosamente ambíguo.  ^_^
Uncategorized

Pareto já tinha intuição econométrica…

Nós não conhecemos, não podemos jamais conhecer um fenômeno concreto em todos os seus pormenores; há sempre um resíduo. [Pareto, V. Manual de Economia Política, Abril Cultural, 1988, 3a ed., p.15]

Outro ótimo trecho (p.19):

Erra-se, pois, redondamente quando se acusa quem estuda as ações econômicas – ou o homo oeconomicus – de negligenciar  ou mesmo de desdenhar as ações morais, religiosas, etc. – isto é, o homo ethicus, o homo religiosus etc. – ; seria a mesma coisa que dizer que a geometria negligencia, desdenha as propriedades químicas dos corpos, suas propriedades físicas, etc. Comete-se o mesmo erro quando se acusa a Economia Política de não levar em conta a moral, como se acusássemos uma teoria sobre o jogo de xadrez de não levar em conta a arte culinária.

Quanta bobagem já foi dita por não se entender estes alertas simples…