Devemos permitir o financiamento público de campanhas eleitorais?

levitt_1Levitt (1994), o autor de Freakonomics, diz que não e o leitor poderá analisar detalhadamente o argumento no texto original.

Eu queria mesmo era perguntar sobre que evidências empíricas os nossos políticos – e seus assessores – justificam o fim do financiamento privado de campanhas seguido da manutenção do financiamento público. Enfim…

De qualquer forma, eis trechos da conclusão de seu artigo [a referência é: Levitt, Steven D. “Using Repeat Challengers to Estimate the Effect of Campaign Spending on Election Outcomes in the U.S. House”. The Journal of Political Economy, Volume 102, Issue 4 (Aug., 1994), 777-798″.

The estimates obtained in this paper have radically different implications for public policy than previous cross-sectional estimates. In contrast to the previous literature, my results suggest that spending caps may be desirable, but public financing of campaigns is clearly not justified. [p.795]

Mais ainda:

Given the limited impact of public financing on election outcomes, increased competitiveness of elections does not appear to justify the costs to taxpayers of funding such programs. Support for public spending on elections must be based on other factors such as the reduction in the influence of PACs, an issue about which the analysis of this paper can say nothing. [p.795]

Políticas públicas não podem ser levadas a sério sem alguma justificativa teórico-empírica. Quais foram as de nossos legisladores?

Anúncios

2 respostas em “Devemos permitir o financiamento público de campanhas eleitorais?

  1. Quero apenas fazer um alerta. Nos EUA, as campanhas são distritais (e, portanto, reduzidas a um pequeno espaço geográfico, que acaba por reduzir custos). Aqui, como a campanha ocorre em todo o território de votação (seja para vereador, deputados estaduais e federais ou presidente) há que se fazer campanha por áreas maiores, que encarecem a campanha. Com campanhas distritais, a base de financiamento pode se apoiar na contribuição individual. Isso se complica quando a base é maior (mas não impede, Obama captou muitos recursos via internet nas 2 campanhas presidenciais). O ideal é reduzir o custo de campanha, algo que nossos congressistas não parecem estar dispostos, pois quem tem (ou tinha) acesso a arcas de financiamento polpudas, sempre pode se valer do poder econômico para garantir a eleição.

  2. Então, se adotarmos o voto distrital, é possível que as conclusões de Levitt sejam mais robustas (é possível, não disse que é, ok?), certo?

    Obrigado pelo comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s