Uncategorized

Concorrência de moedas hayekiana funciona?

hayekdefeated

Acho que o melhor resumo do argumento teórico desfavorável ao otimismo hayekiano nunca foi tão bem resumido como por Hadba (1994). É, basicamente, o argumento de Milton Friedman.

Pode-se achar interessante o trabalho de Hayek sobre uma possível estrutura de mercado na qual há concorrência entre moedas (eu mesmo sempre destaquei a importância de se ler o pequeno livro dele).

Mas é fato que a lógica econômica não é tão favorável assim ao argumento hayekiano. Obviamente, qualquer crítica séria ao argumento acima precisa enfrentar a lógica simples pois: (a) não há como negar que a racionalidade econômica opere (Rmg = Cmg), (b) também não vejo a tecnologia mudando o fato de que o Cmg é praticamente zero na emissão de uma nota adicional. Logo, não há como escapar de (c). Caso haja, gostaria de ver o argumento.

Por falar nisto, como anda o tal bitcoin? Não vejo mais notícias sobre esta moeda como via antes o que, de certa forma, é supreendente para mim, já que estamos com uma inflação que, no mínimo, incentivaria seu maior uso (não vou dizer ceteris paribus a regulação do Banco Central porque sabemos que o pessoal sempre dá um jeito de burlar leis que vão contra as trocas voluntárias).

Anúncios
Uncategorized

Lei de Gresham, na prática

Uma página legal para se ver evidências de que a lei funciona é esta. Gostaria muito de ver algo assim, para o Brasil. Será que temos dados públicos sobre o mercado de numismática que inclua, como informação, o valor de commodity da moeda? Tentei uma busca superficial e, bem, encontrei alguma coisa como esta.

Exemplifico como avaliar, por exemplo, um 5000 Réis da República do tipo “Santos Dumont” de 1935. Essa moeda tem 6 gramas de prata fino ( 12 gramas bruto de prata .500). A título deste exemplo tomamos o valor da prata ATUAL no mercado nacional de cerca de R$ 400/quilo. .06 x R$400 = R$2,40. Ou seja, cada moeda de 5000 Réis de 1935 vale cerca de R$2,40. E assim pode ser feito para qualquer moeda desta época contanto que se saiba o peso da moeda e o valor da prata.

No mínimo, é um passatempo interessante este o de calcular o valor da moeda metálica em seu uso alternativo e compará-lo com o valor de face.

p.s. Achei um estudo sobre a operação da lei para o Brasil, mas sem muitos dados (talvez a bibliografia indicada tenha algo).