Negócios com Pedro Alves (geram externalidades negativas)

Negócios com Pedro Alves
Eu não quero mais;
A couve da minha horta
O gado dele comeu;
E, pagando arrendamento,
Que lucro é que tiro eu?
Fui justar contas com ele,
E nenhuma conta fiz;
Negócio com Pedro Alves
Eu não quero mais…

[“Negócios com Pedro Alves” (Rio de Janeiro). In: Romero, Sílvio. Cantos Populares do Brasil, p.219-220]

A externalidade cantada em prosa e verso pela sabedoria popular carioca, estupendamente salva por outro que nos resgatou o folclore brasileiro, Sílvio Romero. O cantor, que aluga a terra para plantar, tem sua horta destruída pelo gado do vizinho. Vale dizer, com direitos de propriedade não cumpridos, efetivamente, não tem jeito.

Mais um exemplo de que a economia está presente nos recantos mais inesperados da literatura…

p.s. Serve para explicar a estudantes de ensino médio o que é uma externalidade, não serve?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s