Uncategorized

Austríacos com Econometria? – Vida inteligente existe!

Alguns conhecidos “austríacos” estão de luto pelo uso da Econometria, mas eu saúdo este tipo de artigo.

An Empirical Analysis of the Austrian Business Cycle Theory
William J. Luther & Mark Cohen

International Atlantic Economic Society 2014
Abstract
The Austrian economists Ludwig von Mises and Friedrich A. Hayek developed a unique theory of the business cycle. In their view, an unsustainable boom ensues
 when the rate of interest prevailing in the market falls below the natural rate. The boom is characterized not only by an increase in aggregate production but also by a distortion of the structure of production. Similarly, the recession that follows is characterized by a decline in aggregate production as the structure of production is repaired. Hence, the Austrian account of macroeconomic fluctuation stresses the misallocation and reallocation of resources in addition to the overproduction and underproduction of more conventional business cycle theories. In a recent article, Lester and Wolff (Review of Austrian Economics 26(4):433–461,2013) attempt to consider the empirical relevanceof the Austrian view. We argue that the authors’ use of the federal funds rate as anindicator of monetary policy is inappropriate in that it fails to distinguish a low marketinterest rate from a market interest rate that is low relative to the natural rate. Using an estimate of the natural rate provided by Selgin et al. (2011), we attempt to improve upon their analysis.

Meus amigos austríacos sempre insistem que o mercado é a melhor forma de se alocar recursos. Bem, eu assino este periódico e, portanto, não devo repassar este artigo gratuitamente para ninguém, não é? Quem entendeu a piada, entendeu. Quem não entendeu, chorou.

Ah, o artigo? É, eles – os autores – usam um VAR estrutural (SVAR), fina flor da da Econometria moderna, para sua análise empírica. Talvez alguns achem que isto é só uma “questão acadêmica” como chegaram a dizer para mim, certa vez, quando falei da necessidade de se analisar empiricamente a carga tributária. Pois é. Eu concordo que a teoria de Einstein é acadêmica, a epidemiologia é acadêmica, a psicometria é acadêmica, mas saber utilizá-la para aprimorar nosso conhecimento da realidade é um pouco mais do que academicismo. Acho que posso dizer que é fruto da ação humana, sempre cheia de propósitos…

Confere o número especial do AES, caso você realmente goste do tema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s