Uncategorized

Momento R do Dia: instituições formais, informais e a qualidade dos estados…qual a relação?

Eis minha inspiração: Quick-R. Ou melhor, uma delas. Veja que há várias ferramentas para te ajudar a fazer Econometria. Tantas que até atrapalha! Veja o caso da regressão stepwise, por exemplo. Ela pode ser feita em outros pacotes econométricos, mas eu imagino que é muito simples no R.

Dica para os amigos de Econometria I ou para os de Macro (Desenvolvimento Econômico)

Os alunos de Econometria I (graças a Deus, uma disciplina que não está sob minha responsabilidade porque eu tenho que fazer muita coisa…) podem, por exemplo, aplicar este método em suas pesquisas sobre os fatores institucionais que levam ao desenvolvimento econômico.

Eis aqui um exemplo, usando uma base de dados parecida com a que eu, Ari e Pedro usamos aqui. O script, como sempre, de lambuja para os alunos gabolas e os estudantes.

tenta2<-lm(log(failed)~log(culture)+log(exprop)+legor_fr+legor_ge+legor_sc+legor_so+landlock_certo,na.action=na.omit)
summary(tenta2)
plot(tenta2)

#stepwise

library(MASS)
step <- stepAIC(tenta2, direction="both")
step$anova

A descrição das variáveis você encontra no artigo citado. Basta acrescentar a “landlock_certo” que é uma dummy para o fato de que alguns países têm saída para o mar e outros não. As “legor” dizem respeito ao código legal dos países da mostra e o risco de expropriação, bem, você me entendeu.

A idéia deste mecanismo “stepwise” é tentar escolher para você o melhor conjunto de regressores. Como todo procedimento econométrico, tem seus defeitos e virtudes mas, como eu sempre digo aos meus alunos, econometria é igual a cueca: não se gosta ou desgosta, apenas se usa.

De qualquer forma, nosso modelo, submetido a estes testes, resulta em (veja o Final Model):

Initial Model:

log(failed) ~ log(culture) + log(exprop) + legor_fr + legor_ge +

legor_sc + legor_so + landlock_certo

|Final Model:

log(failed) ~ log(culture) + log(exprop) + legor_sc + legor_so +

landlock_certo

Olhado, ceteris paribus, este método, escolheríamos um modelo no qual a falência dos estados seria explicada pela cultura (cultura pró-mercado diminui a falência dos estados), pelo medo (risco) da expropriação (maior risco de expropriação se relaciona negativamente com a falência dos estados), e pelos códigos legais escandinavos (impacto negativo na falência estatal, que podemos pensar como impacto positivo na qualidade de um estado) e socialista (piorando a qualidade…), bem como pela dotação natural do país (landlock). Claro que é desagradável ver sumir os outros códigos legais porque a “dummy omitida” virou um amontoado de coisas (aliás, estas dummies são sempre facilmente criticáveis…).

Coefficients:

Estimate Std. Error t value Pr(>|t|)
(Intercept)        8.84065 0.66918 13.211 < 2e-16 ***
log(culture)      -0.48602 0.17201 -2.825 0.00657 **
log(exprop)      -1.26174 0.17805 -7.086 2.72e-09 ***
legor_sc          -0.38573 0.13514 -2.854 0.00607 **
legor_so           0.24584 0.08905 2.761 0.00782 **
landlock_certo -0.28284 0.11937 -2.369 0.02135 *

Signif. codes: 0 ‘***’ 0.001 ‘**’ 0.01 ‘*’ 0.05 ‘.’ 0.1 ‘ ’ 1

Residual standard error: 0.2525 on 55 degrees of freedom
(153 observations deleted due to missingness)
Multiple R-squared: 0.7857, Adjusted R-squared: 0.7662
F-statistic: 40.33 on 5 and 55 DF, p-value: < 2.2e-16

Ok, este é um exemplo bem simples e não me venha dizer que estou refutando Acemoglu, ou outros economistas! Falta muito para chegar lá. A bem da verdade, já deixei claro aqui que tenho duas orientandas, Charline e Lorena, trabalhando em bases de dados como esta, tentando fazer algumas brincadeiras para nos ajudar a entender estas relações entre instituições formais, informais, desenvolvimento e todo este papo complicado deste povo lá do Desenvolvimento Econômico quando resolveram que História Econômica era algo mais do que aquela decoreba idiota que alguns pterodoxos tentavam enfiar goela abaixo das pessoas.

Obviamente, há uma tensão entre estudos deste tipo e estudos de caso e meu amigo Fernando Zanella prefere os últimos. Eu, como bom mineiro, sou sempre muito cético e auto-crítico (como o Zanella, embora ele não seja mineiro), e ainda prefiro usar os dois como ferramentas de apoio porque não tenho tido tempo suficiente para estudar apenas estes tópicos. Outros colegas meus, com menos alunos, bem que poderiam me ajudar, mas, ei, preguiça não move montanhas, mesmo que o tempo seja limitado. Será que meu tempo é melhor utilizado ajudando a limpar o chão da sala do colega ou fazendo pesquisas? Bem, isto é outra história. Até lá, fiquem com esta dica e com o conselho óbvio: pesquisem sobre o R no site indicado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s