Uncategorized

Comer, Beber, Viver…tudo mais caro!

“- Ficou mais caro comer pão com linguiça no restaurante perto de sua casa própria?”

Apenas para distrair um pouco, peguei a variação de dois índices relativos à economia brasileira lá no FRED. Eu sei que vocês adoram um diagrama de dispersão e, bem, aí está ele. Infelizmente, não tenho o valor da correlação, mas é fácil obter os dados e calcular.

Caso você queira ver as duas séries, isoladamente, verá que ambas apresentam uma tendência de crescimento marcante ao longo do período, notadamente depois de 1995.

Ironicamente, eu me lembrei deste famoso filme de Ang Lee, o Comer, Beber, Viver (tradução de…bem, veja a imagem aí embaixo). No filme, uma das filhas perde todo o dinheiro poupado em sua vida em um empreendimento imobiliário fraudado. Ou seja, lá estão os custos de construção e também os de comer (ou, juntando ambos, de viver)…

“- Alguém aí quer um macarrão com legumes?”
Anúncios
Uncategorized

Bomba Atômica

 

A foto acima é desta página que documenta os bombardeios aliados no Japão, durante a II Guerra Mundial. Especificamente, trata-se de Hiroshima e, sim, a sombra na parede foi impressa pela força do clarão da explosão atômica.

É uma das fotos que mais me impressionou, sobre o evento, quando a vi pela primeira vez, há uns 20 anos. Isto sem falar em outras fotos nas quais se vê a sombra de alguma pessoa impressa na parede, embora a mesma (a pessoa) tenha se desintegrado.

Uma bomba atômica é mais ou menos isso.

Uncategorized

Guerras cambiais, Coelhos da Páscoa e Papai Noel

Enquanto alguns acreditam em “guerras cambiais”…

But while it is true that such expansionary policies can have a recessionary impact on other economies, modern international finance theory shows that the concept of a “currency war” is a myth. The reality is that, under a flexible exchange-rate regime, competitive devaluations do not produce undesirable imbalances. On the contrary, they can bolster recovery in participating economies.

Outros enxergam além. Bom, se é verdade que é um mito, a pergunta, portanto, é: a quem interessa manter o mito? No caso do Papai Noel, claro, é um mito que interessa aos pais e ao comércio em geral. Quem, no caso do mito da guerra cambial, lucraria com o discurso?

Uncategorized

Momento R do Dia em Taiwan (novamente)

Como eu disse em algum post anterior, Taiwan, a República da China que o governo comunista vive tentando reconquistar, tem um Banco Central e, claro, este tem algumas estatísticas disponíveis. Não são muitas, mas são suficientes para algumas brincadeiras. Neste Momento R do Dia, vamos apenas ver alguns comandos para gráficos e correlações, sem maiores pretensões analíticas.

Taxas de juros e câmbio para todos os gostos…

Por exemplo, podemos olhar para as taxas de juros em Taiwan. Tanto as do Banco Central (Discount Rate Interest Rates with Accommodations with Collateral), quanto as dos cinco maiores bancos de lá (1-month deposit rates1-year deposit ratesbase lending rates). Também podemos analisar a taxa de câmbio da moeda local (em relação ao dólar).

Na página do Banco Central de Taiwan, somos informados que, em relação à taxa de câmbio:

To date, residents can freely hold and use foreign exchange export proceeds and also make foreign exchange import payments without restrictions. Only certain regulations imposed on remittances related to capital account transactions are retained for the purpose of financial stability.

The NT dollar exchange rate is determined by market forces, which is in line with the policy of exchange rate liberalization. Only when the foreign exchange market is disrupted by seasonal or irregular factors will the Bank step in.

Então, oficialmente, a taxa de câmbio flutua livremente, exceto em casos de “seasonal or irregular factors”. O gráfico a seguir mostra o comportamento da série, desde Dez/1995.

taiwan_dolar

Ah sim, dados anteriores a Dez/1995 existem, mas a taxa era fixa. Além disso, para comparar com as taxas de juros, o melhor período amostral é, realmente, este que estou usando.

Quanto à taxa de juros usada pela Autoridade Monetária, a taxa de desconto, temos o seguinte comportamento.

taiwan_discount_rate

Uma análise com as outras taxas mostra comportamento similar.

variosjuros

Numa economia aberta, como a de Taiwan, com câmbio flexível, tanto a taxa de juros como a taxa de câmbio são endógenas. Deveria haver uma relação entre elas? Vejamos a correlação entre as séries.

taiwan_correlations

 

O valor das correlações pode ser obtido pelo comando cor(). No caso:

> cor(juros_e_cambio)
one_month_rate     one_year_rate    base_rate    discount_rate
one_month_rate    1.0000000 0.9927786 0.904452025 0.9684923
one_year_rate       0.9927786 1.0000000 0.889159393 0.9776425
base_rate              0.9044520 0.8891594 1.000000000 0.8426562
discount_rate        0.9684923 0.9776425 0.842656232 1.0000000
Interest_collateral  0.9684561 0.9776393 0.842990635 0.9999949
exchange_rate     -0.2087333 -0.2885908 0.007013235 -0.3289595

Interest_collateral   exchange_rate
one_month_rate           0.9684561   -0.208733258
one_year_rate              0.9776393   -0.288590769
base_rate                    0.8429906   0.007013235
discount_rate              0.9999949   -0.328959483
Interest_collateral        1.0000000   -0.328720706
exchange_rate            -0.3287207   1.000000000

Quanto às taxas de juros, em si, o que esperar? Vejamos, por exemplo, um diagrama de dispersão gerado pelo pacote car, com a taxa de desconto do Banco Central e a de mercado (one month rate), ambas em variação percentual.

taiwan_juros_juros

Há alguma relação, mas nada muito animador, não? A relação entre taxas de curto e longo prazo já parece mais interessante.

taiwan_juroscplp

Faria algum sentido analisar duas taxas de juros como esta? Bem, existe alguma literatura sobre taxas de juros em períodos distintos, mas não exatamente como eu fiz aqui. Caso você queira saber mais sobre isto, então considere o próximo parágrafo.

Indo além…

Não dizem por aí que existe uma relação entre taxas de juros de curto e longo prazo? Pois é. Chama-se curva de yield. Entretanto, para brincar com uma curva de yield, deve-se ter um pouco mais de informações e aqui há um texto didático sobre o tema. Quanto à economia taiwanesa, bem, existe este estudo e este outro.

Os comandos em R…

Quanto aos comandos em R, eis a dica.

# importar EG2BM01en

taiwan2 <- read.table(file = "clipboard", sep = "\t", header=TRUE)
head(taiwan2)
one_month_rate<-ts(taiwan2$one_month.deposit.rates, start=c(1995,12),freq=12)
one_year_rate<-ts(taiwan2$one_year.deposit.rates, start=c(1995,12),freq=12)
base_rate<-ts(taiwan2$Base.lending.rates, start=c(1995,12),freq=12)
discount_rate<-ts(taiwan2$Discount.rate, start=c(1995,12),freq=12)
Interest_collateral<-ts(taiwan2$Interest_rate_ac_with_col, start=c(1995,12),freq=12)
exchange_rate<-ts(taiwan2$NTD_USD,start=c(1995,12),freq=12)

series <- ts(taiwan2, start=c(1995,12), freq=12)
juros<-data.frame(one_month_rate,one_year_rate,base_rate,discount_rate,Interest_collateral)
juros<-ts(juros,start=c(1995,12),freq=12)
library(ggplot2)
library(lattice)
library(latticeExtra)

asTheEconomist(xyplot(window(exchange_rate,start=1995),
                      main = "NTD_USD", sub = "Meses"))

asTheEconomist(xyplot(window(discount_rate,start=1995),
                      main = "Discount Rate", sub = "Meses"))
library(car)
scatterplot(diff(log(one_month_rate))~diff(log(discount_rate)))
scatterplot(diff(log(one_month_rate))~diff(log(one_year_rate)))
juros_e_cambio<-data.frame(one_month_rate,one_year_rate,base_rate,discount_rate,Interest_collateral,exchange_rate)
pairs(juros_e_cambio)
cor(juros_e_cambio)