Uncategorized

Domingo é dia de consumir o frango assado do boteco…e de pensar sobre a função consumo

Aí você me diz que leu um monte de teorias sobre consumo e quer estimar uma super função consumo. Como diria meu amigo Claudio (eu mesmo), be my guest. No livro de macroeconomia de Carlin & Soskice (2006), há um resumo da regressão feita por Muellbauer (1994). Vou aproveitar para resumir o apêndice 1.10 do capítulo 7 e dar meus pitacos. Ou seja, aqui vai uma mistura de tradução livre com observações deste que vos escreve, ok?

O prof. Muelbauer, usando dados para o Reino Unido, estimou a seguinte função:

Δlnct = constante + β0 + β1 (lnyt – lnct-1)  + β2Δlnyt + β3r + β4Δut + β5ad + β6(LAt-1/yt-1) + β7(IAt-1/yt-1) + β8 (Δlyt/y)e + controles demográficos e distributivos

na qual temos ct = consumo de duráveis e não-duráveis, y = renda real disponível, r = taxa de juros real, u = taxa de desemprego, ad = valor absoluto do hiato entre a renda corrente e sua média dos cinco anos prévios, LA = medida de liquidez de ativos, IA = medida de ativos não-líquidos (ilíquidos), (Δlyt/y)e = expectativa de crescimento da renda.

Repare que, ao contrário da vida tranquila que você imaginou ter ao estudar macroeconomia básica (aquela do primeiro ano, época em que a faculdade era só festa e alegria), o futuro é importante! Sim, a expectativa de crescimento da renda, esta terrível variável forward-looking é importante (na estimação do autor, o impacto é positivo e estatisticamente diferente de zero).

Carlin & Soskice (2006) fazem a observação importante que você deveria guardar na memória: se o consumo é funçao da renda disponível, dos juros, da expectativa de crescimento da renda e do efeito-riqueza, por exemplo, então os impactos de políticas fiscais que você estudou mudam (e olha que nem abrimos a economia!). Guardar o que mesmo? Guardar a maneira como você deve estudar o que já aprendeu e incorporar novidades. Como fica a curva IS em um caso como este? Mais ou menos inclinada? Segunda pergunta: se ficar mais ou menos inclinada o impacto relativo da política fiscal relativamente à monetária fica maior ou menor? Heim? (dica: esta é fácil. Basta você se lembrar do que aprendeu no 1o ano do curso. Depois, inclua os efeitos acima de forma bem simples, aditiva mesmo e veja o que acontece).

Ah sim, Muellbauer é um especialista em consumo. Outro artigo dele é este aqui, publicado em 2007, antes da crise imobiliária dos EUA.

Bibliografia

Carlin, W. & Soskice, D.  (2006). Macroeconomics – Imperfections, Institutions and Policies. Oxford University Press.

Micro-Apêndice: dica para ver como fica a curva IS com taxa de juros no consumo

Simples assim. Faça uma função consumo simples, como:

C = a + bY + cr (0 > c e 1 > b >0).

Substitua sua função consumo antiga por esta e veja como fica a derivada parcial dY/dr da curva IS. Claro, outro ponto a se pensar é no significado da inclinação da IS quando usamos a teoria da renda permanente e adicionamos outras variáveis, mas você tem que começar de algum ponto e, claro, comece do mais simples, ok?

Bom exercício.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s