Uncategorized

Cordel

Isto aqui embaixo, direto do blog do Pedro Sette (com o qual terei o prazer de jantar daqui a pouco), está muito, mas muito bom mesmo. Por falar em cordel em defesa do leitor enquanto cidadão, não como quadro de algum partido mixuruca, que tal isto?

Cidadão, não companheiro
Martim Cardoso

Prefiro cidadão a companheiro
Salvo se escolho acompanhar
Prefiro por opção e por inteiro
Não por alguém me obrigar

Prefiro igualdade na lei
Que igualdade em tudo mais
Dispenso veleidades de rei
Mantenho veleidades reais

Reais até na ilusão
Que se possa acalentar
Meu direito à decepção
Ninguém ouse roubar

Prefiro iniciativa privada
Com certa dose de risco
A uma vida empatada
Encalacrada no Fisco

No sustento do impostor
(Daí o nome imposto)
Na falta de pudor
De quem assume um posto

E trabalha em causa própria
Como se dele fosse o Estado
São cenas muito impróprias
Para as quais sou tributado

Prefiro que a sacanagem
Seja restrita à cama
Nada a ver com vantagens
Estranhas a quem ama

A quem ama seu semelhante
Por mais que declare fazê-lo
O Estado, quando gigante,
Ninguém consegue detê-lo

Prima pela voracidade
De olho em todos os ganhos
Minguando-os à vontade
Conforme seu tamanho

Dando pouco em troca
Mas com que estardalhaço
Uma bola para a foca
Um nariz para o palhaço

Prefiro cidadão a companheiro
Salvo se escolho acompanhar
Prefiro por opção e por inteiro
Não por alguém me obrigar

Uncategorized

Responsabilidade fiscal?

Quem quiser mostrar que acha uma estultice se preocupar com o futuro dos seus filhos pode votar na candidata do maior gastador dos últimos governos. Enquanto os liberais se preocupam com seus filhos (e os filhos dos leitores), os não-liberais, aqueles do discurso oba-0ba, pregam a destruição da responsabilidade fiscal, com mensalão, quebra de sigilos, tudo o que a ditadura militar tinha vergonha de fazer, mesmo quando fazia.

Eis a diferença entre a esquerda e a direita: a primeira não tem vergonha de ser autoritária.

p.s. se o povo da esquerda pudesse, beijava as botas do Pinochet. Aqui em Minas, por exemplo, o choroso vice de um certo candidato da grande mídia fez beiço e hoje sorri como um lobo em frente a um galinheiro junto ao seu aliado. É a esquerda brasileira, sempre se dizendo atuante, militante e popular…

Uncategorized

Ibmec Minas com mania de grandeza: a maior série de tempo de todos os tempos

Prometi e cumpri: eis aí a maior série de tempo de todos os tempos. Vários professores já estão com inveja e alguns alunos temem que a prova seja impressa em papel A3. Entretanto, a foto acima é uma prova irrefutável de que a felicidade dos alunos está na aula de Econometria. Note como estão todos sorridentes com o gráfico. Há quem diga que a felicidade é porque a série convergiu, mas este é um debate cuja resposta é mesmo empírica.

p.s. em breve: a maior curva de indiferença Cobb-Douglas, a maior otimização intertemporal do consumo, etc.