Uncategorized

Escolha seu curso de administração

Eis abaixo o resumo de um interessante artigo apresentado na ANPEC deste ano (você pode obtê-lo na página da ANPEC):

A Escolha da Faculdade pelo Aluno: Estimação da Demanda e Precificação dos Atributos
Eduardo de Carvalho Andrade, Rodrigo Moita, Carlos Eduardo Lobo e Silva

Resumo

Este trabalho usa um modelo logit agregado para estimar a demanda pelos cursos de Administração do estado de São Paulo. Os resultados indicam que algumas características das faculdades são importantes na determinação do seu market share: o preço, a nota dos ingressantes do Enade (‘peer effect’), o ranking do ‘Guia do Estudante’ e o percentual de doutores no corpo docente da instituição. Reputação e qualidade da infra-estrutura não têm impacto significativo. Sem perda de market share, aumentar em 1 ponto a nota do Enade, aumentar o percentual de doutores em 1% e passar de 4 para 5 estrelas no ‘Guia’ permitiria a faculdade elevar a mensalidade, respectivamente, em 16,6, 3,31 e 486,14 reais. Por fim, parece existir uma intersecção importante entre as variáveis consideradas relevantes pelos estudantes na escolha do curso e aquelas que compõem o ranking do MEC.

Para mim, o que surpreende no resumo é o fato de a reputação não ser relevante, pelo menos para os cursos de Administração das faculdades de São Paulo. Seria um problema da variável utilizada? Ou a competição é apenas por preço mesmo?

Outro ponto interessante: infra-estrutura não importa. Interessante é que se a faculdade tiver mais de um curso, a pergunta que eu faria diria respeito à relevância disto. Digamos que a faculdade tenha um curso de Administração, outro de Contabilidade e um de Engenharia da Produção. Quer você queira ou não, a infra-estrutura será relevante – em termos de laboratórios, por exemplo – apenas para um curso (ou predominantemente para um curso), logo, que ela não seja relevante para Administração é quase que óbvio. Mais interessante parecem ser as elasticidades encontradas. Pode ser interessante, obviamente, ter mais doutores no curso, como encontrado pelos autores, mas é espantoso o resultado encontrado pelo impacto do Guia.

De qualquer forma, vale a leitura.