Uncategorized

Populismo: ruim só quando é dos outros

O debate sobre Sarah Palin aqui, despertado pela Newsweek, é basicamente o de se seu populismo é ou não algo bom para os EUA. Claro que a resposta da revista é negativa. Incrível mesmo é ver como jornalistas brasileiros – alinhadíssimos com o governo – acham o populismo de presidente da Silva bonitinho, como se o mesmo fosse um mascote do jornalismo que sempre se acha engajado (embora sempre precise de verba publicitária para viver, junto à ideologia “cazuziana”) e isento de ideologia (mas mais principalmente isento de ideologia liberal do que de visões autoritárias).

Sarah Palin pode ser populista, mas da Silva o é muito mais. E seu encanto sobre sua platéia não é diferente do efeito do sr. da Silva sobre a sua, mesmo com filhos passeando em aviões da FAB, evidências de mensalão mais gritantes do que as de corrupção de um certo ex-prefeito paulista ou discursos autoritários contra agências reguladoras, oposição e qualquer outra força contrária que esteja em seu caminho. É, da Silva é igualzinho a qualquer outro aspirante a poderoso.