Uncategorized

Uma das minhas leituras prediletas: a impossibilidade do cálculo socialista

Digo, do cálculo econômico sob o socialismo. É um tema que sempre achei interessante. Leio menos sobre ele hoje em dia, mas é um interessante tópico para quem gosta de história do pensamento econômico.

Anúncios
Uncategorized

Novo partido político: Liber

Os libertários aparecem no Estadão: Juliano Torres é o entrevistado. Você pode não ser um anarquista de mercado, como ele. Mas o nascente partido é, pelo menos em termos programáticos, um colírio. O partido conseguirá se manter? Sucumbirá à corrupção? Questões como esta aguardam estes jovens 500 fundadores.

Vale a pena procurar saber mais sobre Liber. Veja, por exemplo, esta página. Juliano Torres já apareceu por aqui, diga-se de passagem, em nosso e-book sobre a lei seca.

Uncategorized

Você acha que a Macroeconomia acabou?

Mario Rizzo parece achar que sim. Claro que você tem que ler o texto dele primeiro. Mas eu não me convenço com estes tradicionais argumentos sobre a “matemática” ser isto ou aquilo. Talvez outros blogueiros queiram discutir o tema. Bem, fica aqui o convite. Só peço que me enviem os endereços dos respectivos textos via comentários para que eu possa acompanhar e participar da discussão.

Pois bem, senhoras e senhores: a Macroeconomia faliu? Acabou? Morreu?

Uncategorized

Externalidade negativa

O vizinho do lado detrás do nosso prédio – onde se localiza a garagem – é um sujeito realmente mal educado. Ao chegar hoje, vi um de seus funcionários, em plena luz do dia, colocando o seu lixo junto ao nosso.

Se fosse o oposto, se 34 apartamentos fizessem o mesmo com este imbecil, o que ele diria?

Isto sim, é espírito de porco belorizontino. Gente que gosta de jogar seu lixo na casa alheia. Lamentável.

Uncategorized

Não existe tal coisa como a “multidão enlouquecida”

A psicologia encontra evidências de que não existe tal abstração. Ou seja, uma multidão se comporta com alguma racionalidade. Além disto trazer uma nova perspectiva sobre como policiais devem agir em situações de tumulto público, imagino que a desculpa de que o sujeito ter-se-ia deixado levar pela “irracionalidade” da massa perdeu sentido.

Mais um argumento demolidor contra os que pensam que as pessoas se comportam de maneira irracional…