Uncategorized

Pervertidos ou envelhecidos?

O mercado é um fenômeno interessante e realmente além da compreensão dos burocratas. Veja agora o fenômeno dos tweens: Mônica, Cebolinha, Bolinha e Luluzinha ganham curvas, músculos, tatuagens e viram adolescentes. Será o fim da inocência ou é desejável que assim o seja?

Bom ponto para se pensar, creio.

Anúncios
Uncategorized

Museus

Numa época em que é moda defender governos autoritários com discursos proto-socialistas, nada melhor do que uma ida ao museu. Excelente recurso didático para estudantes. Está em inglês, língua que os xenófobos não curtem muito, mas vale a pena uma rápida pesquisa.

Uncategorized

O papel do Judiciário

A Justiça dos Estados Unidos autorizou o confisco de US$ 170 bilhões em bens do financista Bernard Madoff, que já se declarou culpado por uma das maiores fraudes cometidas em Wall Street. Para compensar os prejuízos provocados por seus crimes, Madoff será obrigado a renunciar a todos os seus bens, como imóveis, aplicações financeiras, automóveis e barcos.

Um dos homens de negócios mais festejados dos EUA, Madoff, de 71 anos, foi desmascarado no ano passado, com a crise econômica global. Em março, ele se declarou culpado da acusação de que sua empresa de assessoria financeira era na realidade uma máquina de fraudes. 

Em audiência marcada para amanhã, o procurador Lev Dassin vai pedir uma sentença de 150 anos de prisão para o financista. Ira Sorkin, advogado de defesa, pede uma sentença de 12 anos, alegando que seu cliente já tem idade avançada. Com relação a Ruth Madoff, a mulher do financista, os procuradores afirmam ter chegado a um acordo. Ela abriu mão de aproximadamente US$ 80 milhões em bens que vinha reclamando e as autoridades a deixaram ficar com US$ 2,5 milhões em ativos. Na cadeia desde o dia 12 de março, Madoff admitiu culpa em 11 crimes, entre eles fraude, perjúrio, lavagem de dinheiro e roubo. As informações são do jornal
O Estado de S. Paulo.

O papel do Judiciário? Ei-lo. Procure um único exemplo similar no Brasil, ache-o e aí temos alguma discussão útil. Até lá…