Uncategorized

Rent-seeking em Minas Gerais

A notícia parece apontar nesta direção. Veja você mesmo. Se eu conseguir voltar à blogosfera hoje, comento a notícia mais tarde.

Uncategorized

Os termos de troca não se deterioram (o buraco é mais embaixo)

Joao R. Faria e co-autores já tinham mostrado isto (deterioram, mas não da forma como argumentavam alguns estruturalistas). Mas, se você não estava satisfeito, eis um novo trabalho. Os “estruturalistas” poderiam ter escapado destas repetidas rebatidas dos próprios dados se, claro, tivessem usado um pouco de econometria. Escolheram não fazê-lo e, agora, devem se chatear com a evidência histórica. É a vida. O preço de uma má escolha nunca é igual a zero.

Uncategorized

Seminários

Ocasionalmente passando por alguns artigos cheguei à esta página. Nela há um – certamente polêmico – artigo do Padilla sobre a indústria pornográfica nos EUA. Tema interessante o da auto-regulação da indústria, e mais interessante ainda é a nota de rodapé 24 do texto no qual se descobre como o Brasil pode ser uma fonte de problemas para o resto do mundo…

Uncategorized

A História Econômica que não é só decorar fatos e opiniões

Explorations in the Economics of Intertemporal Asset Transfer in Roman Palestine

P.V. Viswanath – Indira Gandhi Institute of Development Research (IGIDR)

Abstract

Following the Jewish Revolt and the destruction of the Jewish Temple in 70 CE, there were large-scale destabilizations of the Jewish population in Palestine. Information regarding economic decisions has always been available indirectly from Jewish and Roman legalistic material, though it has been insufficiently mined for economic insights. Furthermore, over the last forty years, new documentary material has become available from the second century. This note discusses some interesting aspects of how people managed to transfer resources over time in these turbulent times. Specifically, I look at two cases of asset transfer where the primary purpose was to transfer wealth over time. I explore the role of market frictions in both cases and make comparisons to present-day circumstances.

Por falar nisto, o Pesavento já defendeu a tese? Eu queria muito ter uma cópia da mesma, ainda que não revisada pela banca…