Uncategorized

Coletânea sobre a Lei Seca

Já falei sobre ela hoje. Eis o link.

Reações e comentários da blogosfera e dos próprios autores? Ei-los:

Alguns comentários retirados dos links acima: Leo Monasterio acha que quem diz que a lei acusa um crime que não existiu, deveria ser contra a velocidade máxima (será que ele tem razao?). Ronald, um dos autores, afirma: ” Para evitar acidentes, não dirija depois de ler. Mas não proíba sua leitura por aumentar o risco de acidentes”.

Eu só posso dizer que se você não leu ainda, está perdendo.

p.s. o leitor que encontrar problemas de grafia e afins pode nos enviar um comentário. Ficaremos felizes em corrigir os eventuais problemas.

Uncategorized

Lei Seca

O ebook sobre Lei Seca já está em fase final de diagramação. Um dos autores, o Igor Taam, fez a capa e já tem, em suas mãos, todas as quarenta e poucas páginas. Segue um FAQ sobre o livrinho:

1. É de graça?

Embora você não pague por ele, os autores pensam ter adicionado algum valor à sociedade pela livre exposição de idéias. Agradeceríamos se o divulgasse para todos além de, obviamente, fazer uma leitura atenta do mesmo. Caso queira contribuir, dê-nos dinheiro. Ou então não faça plágio dos argumentos em sua reportagem, site ou mesmo blog. Seja educado e dê-nos o devido crédito.

2. Os autores sabem do que falam?

Acreditam que sabem exatamente do que falam. Mas sabem mais do que muita gente que fala sem saber (os limites do próprio conhecimento). Como brasileiro adora um diploma, um título, já digo: temos doutores, mestres, acadêmicos (quase bacháreis), bacharéis, etc. Infelizmente não encontrei nenhum profissional da área de saúde para dar seu palpite, mas você verá que, em alguns dos artigos do e-book, há referências à literatura da área de saúde. Melhor mesmo é você ler e julgar por si mesmo se cada um de nós sabe ou não do que fala. De qualquer forma, já falamos.

3. Há unanimidade entre os autores?

Não. Toda unanimidade é burra, disse alguém…e nós não somos burros. Vide item anterior.

4. Este e-book respeitou a lei de quotas, o estatuto do idoso, etc?

Não. A escolha dos autores foi minha. Convidei um bocado de gente e alguns deles aceitaram. Se eu vivesse na Alemanha nazista, onde até as idéias eram regulamentadas pela burocracia, vá lá. Mas ainda não estamos neste triste estado, certo?

5. Vocês beberam antes de escrever?

Não. Infelizmente, para nós (mas felizmente para o leitor), não pudemos beber durante a confecção desta pequena obra-prima.

6. Achei absurdas estas opiniões! Vocês deveriam se envergonhar de escrever estas coisas!

É muito comum, no dia-a-dia dos colégios e faculdades, bem como na blogosfera, este tipo de indignação. Há muita indignação por aí. Eu mesmo fico indignado com a falta de capacidade de abstração, reflexão e posicionamento científico perante os problemas. Indigno-me, também, como Bobbio, contra aqueles que acham que “tudo é política” (fazer xixi é um ato político para esta gente). Indigno-me com os que atacam pessoas e não argumentos. Também me indigno contra os que fazem pseudo-análises dos argumentos, objetivando, tão somente, sua ridicularização infundada (a ridicularização fundada eu apóio, claro). Entendeu ou quer que faça um desenho (a despeito do alerta de Millôr)?

7. Gostei muito do texto. Vocês fazem sempre isto?

De vez em quando eu e o Adolfo Sachsida fazemos (isto). Se você se der ao trabalho de correr os olhos pela barra de links fixos ao lado, notará uma seção escondidinha, “e-books”. Dê uma olhada lá que você pode ter uma idéia do que temos feito.

8. As opiniões, no e-book, são críticas da realidade e contribuem para uma visão mais rica da sociedade?

Nossa! Que pergunta bonita! Você bebeu? Ok, brincadeiras à parte, a resposta é: sim, meu caro. Na verdade, muitos que perguntam isto desejam ouvir outra resposta: “sim, meu caro, existe vida além do seu marxismo leninista, stalinista, gramsciano, chomsk-ista, marxismo-marxiano-marxóide, frankfurtiano (e mesmo o vulgar “michael-moore-marxismo”)”.

Nem tudo na vida é ideologia, já disse Bobbio. Pára com esta fixação, menino, e vai brincar um pouco. Não vai te deixar cego e nem vai te dar pêlos nas mãos ficar só pensando em Marx, mas é bom brincar um pouco com os colegas no pátio. Sabe, eles podem ser diferentes de você.

9. As opiniões, no e-book, são críticas da realidade e contribuem para uma visão mais rica da sociedade (de novo)?

Nossa! Que pergunta bonita! Você bebeu? Ok, brincadeiras à parte, a resposta é: sim, meu caro. Somos muito críticos. Mesmo quando é para elogiar, eu critico. Esta pergunta, por exemplo, é boa. E não é que eu a critiquei aí em cima?

10. Por que dez perguntas neste FAQ?

Mania engraçada né? Se fossem nove, aposto, você ficaria incomodado. Não? Ah…fala sério…

Uncategorized

A Teoria Econômica continua a funcionar, a despeito das asneiras que se espalham pelo ar!

Puxa, Alex, aula básica agora? Se bem que pelo que tenho ouvido das bocas de burocratas e do líder máximo da administração da Silva, eu tenho que concordar, tem gente precisando muito de aulas básicas de Economia. Bem, talvez eles devam assistir palestras interessantes como esta. Nada pessoal contra os excelsos çábios do governo, mas vale a recomendação: “se beber, não fale (em público). Se falar (em público), não beba (antes)”.

Este povo que tanto usou de gravações ilegais no caso das privatizações das teles, agora, tenta impedir que seus adversários joguem dentro de suas próprias regras…e falando pelos cotovelos.

Já sei: o problema deste país é este.

Fonte da imagem: esta.