Uncategorized

Vovô da co-integração?

A Escola de Harvard afirmava que um certo conjunto de causas produz uma tendência independentemente e outra série de causas que provocam as variações cíclicas. (…) Na realidade, a tendência e os desvios cíclicos não são independentes um do outro. (…) A crise econômica de 1932 influenciou claramente a linha de tendência e dobrou-a no sentido do eixo das abscissas.

O livro é de 1961, publicado no Brasil em 1963. A citação acima encontra-se na página 59. O trecho acima lembra muito a moderna controvérsia da raiz unitária, não? Choques são incorporados ou não na tendência, o que caracterizaria esta última como uma tendência estocástica. Bem, o trecho acima é de Oskar Lange, em seu Introdução à Econometria.

Lange foi um sujeito notável. Participou do debate sobre o cálculo econômico em uma economia socialista, da teorização sobre modelos de Equilíbrio Geral e, claro, foi um dos primeiros autores de livros de econometria que conhecemos no Brasil. Após voltar à sua terra natal, a Polônia, praticamente parou de publicar artigos científicos. Li, em algum lugar, que talvez o ambiente repressor da Polônia soviética tenha sido uma das causas de seu desinteresse pela pesquisa, mas não sei bem de sua vida pós-exílio nos EUA.

De qualquer forma, o trecho acima é, para mim, uma forte evidência de que a raiz unitária já rondava o pensamento de alguns econometristas bem antes de David Hendry. Será?

Uncategorized

Propaganda no mundo não-capitalista

Dizem por aí que existe um “outro mundo possível”, um além do capitalismo, uma segunda via (Stalin, Pol Pot, Castro, FARC) ou uma terceira via (Mussolini, Hitler, Franco) ou, sei lá, uma via fantasiosa (Yellow Submarine, Donald Duck, Morales) que nos tiraria do terrível mundo capitalista na qual a propaganda é malvada, feia, planejada por gente coadunada com o “complexo militar industrial ‘estadunidense'” e que nos induz a fazer tudo o que eles querem (possivelmente os que dizem isto escaparam da “Matrix”…). Claro, todas as vias levam ao sacrifício de algum ser humano em algum altar (ou seria Roma de Nero?).

Em todos os casos, eis a propaganda neste mundo. Alguém é capaz de entender do que se trata?