Uncategorized

Os marxistas de quermesse

Só não concordo com o Erick sobre isto porque vi um famoso – nas bebedeiras de boteco em BH – professor de certa universidade dizer, uma vez, que Jon Elster (o que escreveu Marx Hoje, não por coincidência jamais reeditado…) era uma análise “pobre” e “neoclássica” do que Marx escreveu. Poderiam chamar ele de pós-marxista: aquele que sabe o que Marx quis dizer, mesmo nunca tendo conversado com ele (e feito apenas uns dois anos de língua alemã…).

Um comentário em “Os marxistas de quermesse

  1. Vale lembrar que Mancur Olson analisa a teoria marxista de grupos de interesse no seu clássico “Logic of Collective Action” e que, muito embora não haja referência direta a Marx, o modelo de interação entre política e economia do Acemoglu pode muito bem ser interpretado como uma adaptação ou aprimoramento da tese marxista
    (http://www.nber.org/papers/w10481.pdf —> esquema no início da página 6).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s