Uncategorized

A morte

Comecei a ler este interessantíssimo texto do Dicta & Contradicta. Não terminei ainda, mas vou te dizer, leitor, não me arrependo de ter comprado este primeiro número. Não existe nada similar no Brasil em termos de qualidade e de prazer no ato da leitura. Nada daquela choradeira ideológica que mistura fotos de Sebastião Salgado no Nordeste com discurso religioso e suposta fundamentação científica. Não, não, nada disso.

Dicta & Contradicta vai além do atacadão e do varejão ideológicos.

Uncategorized

Numbers…na prática

Trecho:

Num jogo de palavras e números, peritos da Polícia Civil e do Ministério Público (MP) conseguiram decifrar o código secreto que acreditam ser de um esquema de propina de mais de R$ 4 milhões, oculto na agenda do fiscal de renda Francisco Roberto da Cunha Gomes, o Chico Olho de Boi. O caderno de anotações foi apreendido durante a Operação Propina S/A, em novembro do ano passado. Os investigadores constataram que as 365 páginas estavam criptografadas — escritas com um código que só o autor conhecia. Durante mais de quatro meses, os peritos fizeram cruzamentos, com equações matemáticas, usando letras e algarismos, para chegar à chave do enigma: a expressão “pomba feliz”.

A partir da expressão, os investigadores chegaram à conclusão de que, de 2 de janeiro a 30 de dezembro de 2007, Chico Olho de Boi registrou na agenda toda a movimentação da propina. No documento, há valores, nomes de empresas e de alguns dos 46 denunciados pelo MP por causar prejuízo de R$ 1 bilhão aos cofres públicos, em esquema de sonegação que envolve fiscais estaduais, empresários e contadores. Pela análise dos peritos, cada letra da expressão “pomba feliz” representa, em ordem, os 10 algarismos.

Comentário sarcástico: Imagine se os investigadores só tivessem estudado Filosofia e Sociologia no colégio. Ou se gastassem mais do seu tempo nisto do que no aprendizado de Matemática…

Obviamente, o mais engraçado desta notícia é ver as consequências do tamanho (crescente) do governo em nossas vidas. A mais visível dela é o “bom” uso que o fiscal fazia de sua esperteza. Não existem anjos e, quanto maior o governo, maior a possibilidade de ocorrência de práticas criminosas já que o governo sempre tenta fiscalizar e tributar tudo o que existe, com qualquer desculpa (normalmente alguma “social”).