Uncategorized

Eu aceitei o dinheiro do inimigo e fiz bom uso dele!

Um dos campeões de voto do PT no Rio, em seu sexto mandato como deputado estadual, Carlos Minc não tem, pelo mapa de doações da Justiça Eleitoral, grandes mecenas. Seu quadro de doadores é formado, na maior parte, por pessoas físicas, amigos, parentes e até ele mesmo, que em 2002 colocou R$ 10.530 do próprio bolso para honrar suas despesas. Ninguém, empresas ou conhecidos, doou nenhum valor acima de R$ 50 mil.

Mas se as doações refletem um pouco do perfil de quem paga as contas da campanha de um político, é curioso analisar que um dos doadores da campanha do novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, em 2002, foi a Analytical Solutions S/A, laboratório de análises de alta tecnologia que vende soluções para setores como agronegócios (verdadeiro palavrão para os ambientalistas), meio ambiente, indústria e petróleo. Uma ajuda de módicos R$ 6 mil.

Eis aí como funciona a política. Um outro mundo é possível, tá vendo? É só tirar a venda do fanatismo e da idolatria e você enxerga melhor como funciona o mundo da política à direita ou à esquerda. A diferença é que, atualmente, se você fala da esquerda, é xingado de tudo quanto é nome feio. O porquê desta hipocrisia não necessita explicação, claro.

De qualquer forma, perceba como o mercado político é muito mais complicado do que se diz por aí. Qualquer cientista político sério pode atestar o que digo. Mas só os sérios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s