Uncategorized

Faça você mesmo o teste: a administração da Silva respeita a Constituição?

Marcelo Soares tem uma boa dica. Leia com cuidado e veja se a administração atual cumpre o que diz a Constituição.

Uncategorized

O problema da inscrição “grátis” e uma reflexão sobre blogs de economia

Pato, vizinho do Rabiscos, Pensando, Homo Econometricum e Oikos, tem uma boa questão para o ingênuo que acredita em almoço grátis.

Agora, algumas ruminadas minhas: é interessante como existem poucos blogs de economia feitos por alunos de economia na rede. Digo, alunos de graduação. Há alguns de gente que já passou por isto e continuou como o Raciocínios Espúrios, o blog do Cristiano Costa, o Moral Hazard, o Duke of Hazard, o Selva Brasilis e tantos outros. Mas, graduação, graduação mesmo, são poucos.

Um amigo meu falava sempre que gostava de pessoas interessantes e que tinha prazer em conversar com pessoas deste tipo. Nunca foi capaz (obviamente) de definir uma pessoa interessante. Mas eu digo o seguinte: blogs interessantes surgem quando existem duas pré-condições: (i) interesse no tema; (ii) bom nível de capital humano acumulado (e em acumulação, claro).

Isto me faz pensar um pouco no que diz o Bruno, lá na discussão sobre blogs. Nada que valha a pena uma reflexão maior, claro, mas existe um padrão interessante entre os blogs de economia que vejo por aí.

i) este blogueiro, modéstia a parte, é um dos precursores dos blogs de economia do Brasil;

ii) a maior parte dos jovens blogueiros de economia são oriundos do RS, não de SP ou RJ.

iii) esta distribuição vai da graduação a pós (como está claro nos exemplos acima).

Muito bem, muito bem. O que vejo? Pensando em blogs de economia feitos por alunos de economia, primeiro, não é necessariamente a riqueza que gera blogs (o argumento marxista: somente burgueses possuem blogs). Fato: não existem milhares de blogs de alunos e ex-alunos de faculdades privadas de economia caracterizadas por uma mensalidade polpuda, digamos assim. Segundo, não existe correlação entre blogs de economia de alunos de graduação e riqueza estadual. Talvez blogs – livres, independentes – como os dos alunos de economia sejam a melhor manifestação da qualidade do conhecimento individual.

Aí o que me deixa pensativo é: o que será que caracteriza o grupo do RS? Por que tantos blogs de lá e não de outro lugar? Será que o ensino de economia na UFRGS é diferente do resto do Brasil? Talvez não porque são poucos os alunos que fazem blogs voltados para economia. Seria o Fórum da Liberdade e o desejo de contestar o conhecimento mainstream que recebem na graduação? Se sim, qual o pensamento econômico dominante na graduação da UFRGS? Não sei. Ou será que o Pato, Guilherme, Philipe, Thomas, Diego e colegas são gente que começou a estudar economia para entender melhor a realidade em que vive? E como explicar o co-blogueiro (também com seu blog individual), o Homo Econometricum, que não é do RS? Finalmente: existem outros blogs de economia e estou é viciado nesta amostra? Pode ser.

Comentários que me ajudem a pensar no tema são bem-vindos. Pode vir até de piratas (endogenous joke).