Uncategorized

E a blogosfera anaeróbica sangra

A blogosfera da esquerda anaeróbica deve estar em apuros para justificar isto.

Anúncios
Uncategorized

Trabalhador: ô povinho safado

Tal como os seus algozes, os capitalistas, os trabalhadores também são racionais, no sentido estrito do manual de economia.

Hoje, a Folha informa que um lobby sindical liderado pelo deputado Paulinho Pereira da Silva convenceu o presidente Lula a desautorizar a fiscalização automática, por parte do Tribunal de Contas da União, de como as entidades usam os recursos do imposto sindical obrigatório. Agora, é preciso que o Ministério Público do Trabalho faça uma denúncia antes de haver fiscalização. O TCU reclama, com razão: como é obrigatório, é tributo; como é tributo, precisa ter sua aplicação fiscalizada.

O interesse das entidades é não precisar prestar contas do dinheiro que recebem obrigatoriamente dos trabalhadores, mesmo os não sindicalizados. Não se trata de troco de cachaça: o que foi aprovado representa R$ 100 milhões anuais a mais no caixa das organizações sindicais.

O leitor bombardeado pela panfletagem do sindicato da mãe Joana pode esquecer toda aquela bobagem. Sindicato de trabalhador é igualzinho a sindicato de patrão: só quer gastar o dinheiro alheio sem controle dos que o financiam. E o melhor de tudo é que os intelectuais (atualmente em gostoso silêncio, como diria Macunaíma) ficam todos irritadíssimos se alguém lhes disser que isto é coisa feia. Afinal, como já disse Mises, intelectual é uma profissão moderna, surgida graças ao desenvolvimento capitalista, que liberou alguns do trabalho braçal para atividades distintas (como a de pesquisa, comentarista de futebol ou, claro, de político sindicalista). Neste ramo, o negócio é agradar o maior número possível de leitores e, cá para nós, no ABC está cheio de gente que sabe ler e escrever (alguns até se vangloriam de apenas saberem ler e escrever em português e olhe lá, mas eu falo dos inteligentes).

Quem leu Mancur Olson, leu. Quem não leu, perdeu. Esta notícia é o melhor exemplo do que Olson dizia em seu A Lógica da Ação Coletiva.