Uncategorized

Artigo que não será comentado na blogosfera…

…nem com o devido espaço e, no caso brasileiro, nem com o devido respeito.

Taylor Rule Under Financial Instability

Author/Editor: Bauducco, Sofia | Bulir, Ales | Cihák, Martin
Authorized for Distribution: January 1, 2008
Electronic Access: Free Full Text (PDF file size is 967KB)
Use the free Adobe Acrobat Reader to view this PDF file.

Disclaimer: This Working Paper should not be reported as representing the views of the IMF. The views expressed in this Working Paper are those of the author(s) and do not necessarily represent those of the IMF or IMF policy. Working Papers describe research in progress by the author(s) and are published to elicit comments and to further debate.

Summary: This paper contributes to the analysis of monetary policy in the face of financial instability. In particular, we extend the standard new Keynesian dynamic stochastic general equilibrium (DSGE) model with sticky prices to include a financial system. Our simulations suggest that if financial instability affects output and inflation with a lag and if the central bank has privileged information about credit risk, monetary policy that responds instantly to increased credit risk can trade off more output and inflation instability today for a faster return to the trend than a policy that follows the simple Taylor rule with only the contemporaneous output gap and inflation.

Uncategorized

Falta de cuidado é isto

10 people suffer food poisoning from Chinese-made ‘gyoza’ dumplings

Antes que você me pergunte, sim, eu acho que por mais perfeito que seja o mercado (o modelo regulatório), falhas ocorrerão. A diferença entre o mercado livre, o mercado regulado e o bolivarianismo é que o primeiro deles gera mais ganhos de bem-estar com menor custo. Obviamente, o fato de o custo não ser zero não significa que o mercado possa ser acusado de todos os males criados (normalmente) pelos burocratas ou mesmo pelas aleatoriedades da vida.

Uncategorized

Aplicações de Teoria dos Jogos

Não sei o leitor, mas muita gente não entende que Teoria dos Jogos tem um bocado de aplicações em nossas vidas. Os pterodoxos, então, nem se fala: é um tal de reclamar da “abstração” (como se fosse possível fazer ciência ou criar os filhos sem o mínimo de abstração…) que Deus me livre.

Bem, estes não têm jeito. Reclamarão sempre.

Mas para os interessados no tema, eis um exemplo interessante.

Uncategorized

A pergunta correta que ninguém tem coragem de fazer…

…o Filisteu fez. E segue na íntegra.

Roubo de Rins na Índia

O caso dos 400-500 possíveis roubos de rins na Índia* parece o cenário pesadelo imaginado por muitos opositores da idéia da descriminalização da venda de órgãos para transplante. Do meu posto de ferrenho defensor da legalização, tenho apenas uma pergunta: será que redes ilegais de fornecimento de órgãos subsistiriam em uma estrutura onde os rins podem ser adquiridos de maneira legal e segura, com garantias de qualidade e sem riscos jurídicos?

* Possíveis, porque nem todos os 400-500 foram roubados. Vários dos pacientes venderam seus órgãos ilegalmente, mas a notícia informa que alguns deles foram forçados a se submeter à cirurgia.

Uncategorized

Falhas de governo – desmatamento

Estes dois fatos (aqui e aqui), trazidos pelo Reinaldo Azevedo sequer necessitam da interpretação do jornalista. Os números falam mais alto. Claro, há quem sempre haverá que o governo não controla tudo e que a realidade é cheia de assimetrias informacionais. Normalmente são os mesmos que acusam o mercado de não funcionar e, automaticamente, defendem a pesada intervenção governamental em nossas vidas. Irônico, não?

Com um pouco de conhecimento da história brasileira e de Escolha Pública, você conclui facilmente qual o papel da administração da Silva nesta história. Claro, com um pouco de Econometria, você calcula a perda de bem-estar social e é por isto que economistas pterodoxos não gostam de econometria: ela ameaça muitas de suas mamatas.