Capital Humano · educação

Educação de verdade

Tesshu’s life bridged the time between feudal and modern Japan. Tesshu held a position as a bodyguard for the last Togugawa Shogun. Tesshu even played a role in the transition of power. Then Tesshu became a tutor for the Emperor Meiji during the emperor’s early adulthood.

On one occasion the young emperor challenged Tesshu to a wrestling match. The emperor enjoyed sumo wrestling but he had acquired the inappropriate habit of challenging his aids to impromptu wrestling matches. On one occasion, following a bout of sake drinking, the emperor challenged Tesshu to wrestle. When Tesshu refused the challenge, whereupon the emperor tried to push and pull Tesshu, but the emperor found Tesshu to be immoveable. Then the emperor tried to strike Tesshu, but Tesshu moved slightly aside. The force of the emperor’s blow caused him to fall down, whereupon Tesshu pinned the emperor to the ground. The emperor’s other aids were furious with Tesshu and demanded that Tesshu apologize to the emperor. Tesshu asserted that he was in fact doing his duty and would commit suicide if the emperor requested, but he would not apologize. The emperor saw the wisdom of Tesshu’s way and gave up (temporarily) both wrestling and drinking. From then on Tesshu was one of the emperor’s most trusted advisors.

On another occasion, the emperor, observing how worn Tesshu’s clothing was, gave Tesshu some money to buy new clothes. Tesshu, however, had little regard for material possessions and gave the money to the numerous poor people who sought the hospitality of his household. The next time Tesshu appeared before the emperor, he was wearing the same old clothes.

“What became of the new clothes?” asked the emperor. Tesshu responded back, “They went to you majesty’s children.”

Ao invés de dar um “carteiraço” (como é hábito no Brasil), o jovem Meiji aprendeu as lições de Tesshu Yamaoka. Não é à toa que ambos tenham se tornado tão famosos…

Anúncios
pterodoxia

Grandes momentos do pensamento (oculto) heterodoxo

Bom exercício de criptografia da mente dos marshall-kabloqueados-pós-sei-lá-o-quê-neo-ricarditos-et-caterva. Sim, os mesmos que nos deram anos de planos de estabilização fracassados, além da retórica pitecantrópica que reina na aKademia. Com tantos grandes momentos (por quilômetro quadrado?), em breve, teremos que organizar um livro de pensamentos, como aqueles que existem para George Bush.

comportamento · irracionalidade · racionalidade · TV

Culpem a TV, vamos!

O mundo é cheio dos moralistas que, não tendo competência para ensinar os filhos (ou “filhinhos”), apressam-se a culpar todos, menos o dito cujo, por seus erros. Vale até advogado, suborno ou outros meios, em casos extremos. Mas o que mais ouço é a culpa a quem não pode se defender: a televisão.

De forma geral, a crítica é contra a cultura (isto sim, é “contracultura”). Pois é, se a TV/cinema/cultura é a culpada, devemos reclamar do que fez este menino?

Moral da história: menos preconceito, mais raciocínio…

bolivarianismo · brasil · grupos de interesse · socialismo real

O PT de Porto Alegre e o companheiro falastrão

Quando, lá pelos idos de 2000-1, dizia-se das estranhas notícias acerca da sede do PT gaúcho, aqui, no sudeste, todos se entreolhavam e diziam: este aí é doido, tadinho. Pois é. Agora que a máscara caiu, o mínimo que se espera é o reconhecimento.

Curioso mesmo é pensar no que será que motiva tamanha verborragia.

ONG

Para os inimigos a lei, para os amigos, a gostosa enrolação macunaímica

Eu diria que é quase um onanismo político-filosófico (da práxis) do bolivarianismo brasileiro, mas certamente alguém ficaria ofendido. Fazer o que, são os fatos contra o wishful thinking da esquerda anaeróbica. Gente, não é assim que as ONGs sérias ganham em responsabilidade. Aliás, será que as ONGs sérias divulgam notícias (imparciais) sobre as CPIs das ONGs? Eis aí uma boa medida da sua real transparência.

bolivarianismo · brasil · grupos de interesse · lula · socialismo real

Hummm….

Diz, muito apropriadamente, Nariz Gelado:

janeiro 04, 2008

Conforme vocês leram ontem, aqui no blog:

Trecho de editorial de hoje do Estadão:

Por ato assinado em 27 dezembro, o governo adiou por seis meses – para julho – o início da vigência de um decreto destinado a disciplinar e a restringir repasses federais a Estados, municípios e ONGs. No dia 28, o presidente, por meio de MP, estendeu os benefícios do Bolsa-Família a jovens de 16 e 17 anos. Pela regra anterior, eram beneficiadas famílias com filhos de até 15 anos. Coincidentemente, aos 16 anos o brasileiro já pode votar“.

Isto sim, é economia política. Agora, bacana mesmo seria alguém investigar se existe direcionamento ideológico em estudos de economistas e outros cientistas sociais quando os mesmos têm boa parte de seus proventos financiados por recursos públicos. Eis aí um tema quente, polêmico e que certamente coloca em cheque o discurso do governo de que respeita a independência intelectual, o livre debate e tudo o mais.

heterodoxia · heterodoxos · piada de mau gosto · pterodoxia

Grandes momentos da heterodoxia brasileira

Este aqui merece registro para os anais dos heterodoxos (medidos em número de seus membros por quilômetro quadrado, se desejar, leitor):

O pacote anunciado ontem contraria o discurso oficial do governo, que durante toda a discussão sobre a CPMF prometia que não aumentaria impostos. Mas o ministro da Fazenda, Guido Mantega, usou ontem um argumento “técnico” para negar que tenha havido quebra de palavra. “O compromisso do presidente Lula era de não promover alta de impostos em 2007. E de fato não o fez. Estamos fazendo em 2008, o que está dentro do programado”, afirmou. Em meados de dezembro, o próprio Mantega fora repreendido por Lula porque dissera, em entrevista ao Estado, que o governo aumentaria impostos. Pouco antes do Natal, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou: “Teremos um final de ano tranqüilo, sem sobressaltos, sem pacote e sem medidas de corte. O empresariado pode aproveitar tranqüilo o Natal e o Ano-Novo.”

Entendeu? A sua vida, seus direitos, sua saúde, enfim, seu dinheiro, é tratado com o mesmo carinho que a equipe de Zélia Cardoso lhe devotou quando do infame sorteio do limite do confisco.

É assim que pensa um pterodoxo, em sua versão heterodoxa, a mais em voga no Brasil atual…

brasil · liberalismo · liberdades individuais · libertarianismo

“Quem não deve, não teme”

Este é um ditado muito mal utilizado no Brasil. Normalmente os políticos, estes que escondem suas orgias em mansões e seus mensalões, usam-no para criar leis que, supostamente, visam combater a corrupção. Marcelo Soares presta um grande trabalho ao divulgar, portanto, esta notícia. Vou até reproduzir um trecho:

A ONG européia Privacy International acaba de lançar seu atlas do respeito à privacidade no mundo.

A questão é um dos lados da grande moeda da sociedade da informação: como balancear um nível cada vez maior de informação, o que permite fiscalizar melhor o poder e o crime, com a proteção da intimidade dos cidadãos, que está exposta geralmente aos mesmos mecanismos. Pense por exemplo no caso da perda de um CD governamental com dados bancários de uma grande parte da população inglesa, por exemplo.

O Brasil ficou na classificação vermelha, que significa “falha sistêmica em garantir as salvaguardas” à privacidade. O país está entre os piores do mundo em dois quesitos: garantia da privacidade e vigilância de dados médicos, financeiros e movimentos.

Vai lá ler tudo, cara!