liberalismo · libertarianismo

Como pensa um liberal?

Assim.

Existe uma versão em português, mas não sei o endereço.

Anúncios
bolivarianismo-socialismo · brasil · liberalismo · libertarianismo

Encontro Liberal em Brasília

Temas a serem Discutidos nas Mesas Redondas do Encontro Liberal

Ai vão os temas que iremos abordar na sessão “Idéias Liberais para a Educação”:
a) Quem deve decidir o curriculo das escolas?
b) Curriculos obrigatórios para todas as escolas?
c) Quem deve decidir qual livro adotar?
d) Escolas públicas ou privadas?
e) As escolas devem ser gratuitas ou devem ser pagas?
f) Os alunos devem reprovar?
g) Como deve ser a intervenção do Estado na Educação?
h) Como monitorar a evolução da qualidade?
i) Cotas devem ser adotadas?
j) Outras sugestões são bem vindas.

Ai vão os temas que iremos abordar na sessão “Idéias Liberais para a Saúde”:
a) Pública ou privada?
b) Gratuita ou paga?
c) Devemos ter programas específicos para crianças, idosos e carentes?
d) Minorias devem ter tratamento diferenciado?
e) Programas de vacinação devem ser financiados pelo Estado?
f) Alimentos transgênicos devem ser proibidos?
g) O Estado deve proibir o fumo e a bebida alcoólica?
h) Como deve ser a regulação estatal nos planos de saúde?
i) Médicos devem ter o monopólio da medicina?
j) Outras sugestões são bem vindas.

Ai vão os temas que iremos abordar na sessão “Idéias Liberais para a Previdência”:
a) O sistema de previdência deve ser público ou privado?
b) Como financiar a aposentadoria de pessoas carentes?
c) Como deve ser a regulação do Estado nos fundos de previdência?
d) Qual o direito do Estado em obrigar pessoas a investirem para aposentadoria?
e) Mulheres devem ter tratamento diferenciado?
f) O que fazer em caso de falência de um fundo de pensão?
g) Como financiar a transição de um regime previdenciário para outro?
h) As empresas devem contribuir para a previdência de seus funcionários?
i) Previdência deve redistribuir renda?
j) Outras sugestões são bem vindas.

O encontro é uma oportunidade única. Não há um único empresário, que eu saiba, colocando recursos nisto (eu não espero nada de empresários que vivem em um ambiente totalmente propício ao comportamento rent-seeking). É uma chance de se debater temas importantes para a sociedade. Onde está sua “consciência social” ou sua preocupação com o futuro? Se você gosta destas coisas e concorda com o princípio básico da não-coerção, este encontro é para você.

Al Gore · Ciência · meio ambiente · Nobel

Landsburg merecia o Nobel, não Al Gore

Basta ler isto. Trecho:

Barring a last-minute intervention by the Supreme Court, the 2007 Nobel Peace Prize will be shared by Albert Gore Jr. Admittedly, Gore has been less of a menace to world peace than some previous laureates (think Henry Kissinger). But there is nothing particularly peaceable about Gore’s rhetorical approach to climate policy. At his most pugnacious, Gore has depicted the fundamental trade-off as one between environmental responsibility and personal greed. Of course, as everyone over the age of 12 is perfectly aware, the real trade-off is between the quality of our own lives and the quality of our descendants’.

In other words, climate policy is almost entirely about you and me making sacrifices for the benefit of future generations. To contribute usefully to the debate, you’ve got to think hard about the appropriate level of sacrifice. That in turn requires you to think hard about roughly half a dozen underlying issues.

Leia as questões e tente responder antes de cair no conto do vigário.

banalidade do mal · bolivarianismo · nazismo · socialismo real · totalitarismo

Nova aquisição

Existe uma história interessante sobre um filósofo marxista, o tal Lukács, que teria se humilhado perante o altar dos bolivarianos da época da Guerra Fria. Coisas de socialismo real, como sabemos. Nunca tive o prazer de ler algum livro (aceito indicações) sobre os julgamentos forjados dos soviéticos e de seus capachos espalhados pela Europa Central nos anos de chumbo no qual muita gente foi torturada por defender o, digamos, “individualismo”.

De qualquer forma, um tema que me fascina desde sempre é esta relação do ser humano com as atrocidades. Como pode um sujeito com anos de estudo se transformar numa máquina de moer carne humana? Como é possível um pai de família se comprometer com o extermínio de milhares na Ucrânia – como fez Stalin – e depois de um banho de sangue sair por aí com sua motocicleta – como Guevara – sem a menor dor na consciência?

O mal, o ser humano e toda esta hipocrisia. O uso político da ciência ou o uso da ciência para o democídio. Sim, são várias faces da mesma moeda.

Por isto não resisti, hoje, na livraria. Na falta de mais livros sobre os assassinos comunistas, tenho que me contentar com seus primos nacional-socialistas. Verei se é ou não um bom livro. No mínimo será interessante ver o que Hess, Göring e o estúpido Schirach disseram ao psiquiatra Goldensohn. Será que o Filisteu tem dica de leitura neste caso? ^_^

Ciência · economia · psicologia

Por que eu gosto de psicólogos?

Eles são mais honestos no debate do que a corja usual. Mesmo que nem todos sejam honestos (quem disse que somos melhores?), os argumentos fazem mais sentido. Bem-vindos, psicólogos.

What economists think about psychologists:
1. Psychologists only study rats, pigeons, college freshman, and crazy people.
2. (Perhaps due to the above,) psychologists are not very rational.
What psychologists think about economists:
1. Economists stubbornly hold to a rational model of man(kind) that (they must know) is obviously wrong.
2. Economists can never agree about what will happen to our economy.

I’ll now give a few comments of my own. First, my impression is that, within academia, economics has a higher status than psychology. Thus you see psychologists sniping at economists but not much of the reverse: economists probably don’t spend much time thinking about psychologists. It reminds me of when I used to teach at Berkeley: we could always get a rise out of the students by mentioning Stanford. But, at Stanford, if you mention Berkeley, nobody cares.

On the substance of the matter, of course psychologists will be able to explain some aspects of economic behavior better than economists can, and economists will be able to explain other aspects of economic behavior. I’d trust the economist more on the price of food and I’d trust the psychologist more on the question of what food a person will actually buy. I don’t know that either side would know “more” than the other.

Vejamos até onde isto vai.